Retrato 3 por 3

sábado, 31 de agosto de 2013




Olha a mídia do CD Retrato 3 por 3, comigo, Genildo Santana e Zé Adalberto. Agora só falta unir-se à capa e a gente sair por aí.
 

Cordel se reencontra com a zona rural


O poeta Alexandre Morais ministrando oficina para professores da zona rural de Afogados da Igazeira - PE
        Ontem vivi mais uma boa experiência proporcionada pela minha atividade literária. ministrei uma oficina pedagógica para cerca de 45 professores atuantes em escolas da zona rural de Afogados da Ingazeira - PE. Foi uma das primeiras etapas do Projeto Meu Campo Lê, uma iniciativa da Secretaria Municipal de Educação em parceria com o Programa Arca das Letras, do Ministério do Desenvolvimento Agrário.
      A ideia é formar multiplicadores do saber poético e da arte tão nossa de produzir a literatura de cordel. E multiplicar onde? No campo, exatamente onde o cordel tomou forma e ganhou o mundo.
 
Professores serão multiplicadores do conhecer e do fazer poético

        Durante a oficina os professores tambem ganharam kits pedagógicos com produções impressas, em áudio e em vídeo, o qual batizaram com muita propriedade de Sacola de Cordel. E lá estou de novo, com a minha Peleja do Boto Cor de Rosa com a Sereira Iara, ao lado de nomes como J. Borges, Arievaldo Viana, Genildo Santana e Abdias Campos. É ou não é de dar gosto, uma coisa dessas!?
      Pra completar, nas atividades práticas da oficina, pedi que os professores produzissem versos e os incentivei que os apresentassem aos alunos, assim como fizessem outros de acordo com os temas trabalhados em sala de aula. Isso mesmo, a ideia é aproximar os alunos dos poetas e autores e os fazê-los sentir-se poetas.
Projeto Meu Campo Lê
        Eis as produções:


O dia de estudo

Este dia de estudo
Precisamos destacar
O professor Alexandre
Veio nos auxiliar
Para tirar do papel
Poesia de cordel
Da cultura popular

Nós vamos fazer na prática
Todo o ensinamento
Levando para as escolas
O nosso conhecimento
Verso e imaginação
Cantando o nosso sertão
Com muito entretenimento

Com o cordel trabalhar
Em toda série é possível
Pré, primeira e tantas outras
Cada qual com o seu nível
Mestre da educação
O professor cidadão
É insubstituível

Vamos findar a setilha
Com estes versos de agora
Mas vamos levar conosco
O saber que em nós vigora
Voltaremos outra vez
E queremos ver vocês
Fazendo versos “da hora”

< Renaldi Lacerda, Eudimere Marques, Cícera Pereira, Maria das Graças Marques, Sandra Cristina Marques, Tereza Carla Bezerra, Wilma Geysa Diniz, Vera Lúcia Ribeiro e Emiliana Nunes >

A Seca

Esta seca no Nordeste
Mata toda a plantação
Em todos a falta d’água
Provoca judiação
Até quando meu bom Deus
Se verá esta afliação

Alexandre

Alexandre é um poeta
Muito privilegiado
Com seus cordéis encantando
É por nós admirado
Divulgando seu trabalho
Não importa onde é chamado

< ... >


A desigualdade social

Brasil de povo distinto
Em raça e religião
Que sofre por muito tempo
Devido à corrupção
Cada um só pensa em si
Nunca pensa na nação

Povo bravo e guerreiro
Que luta com esperança
A cada dia acalenta
Sua alma de criança
Por tanta desigualdade
Perde a perseverança

< Elba Fabiana >

Cordel Campo de formação

É grande a satisfação
De viver este momento
De uma bela formação
Em prol do conhecimento

Com a leitura do cordel
Lá no campo e na cidade
Envolvendo toda gente
Numa mesma unidade

Vamos juntos minha gente
Declamando poesia
Formando uma só corrente
Disseminando alegria

< Joseane, Daniela, Maria José, Lindinalva e Poliana >

Em pleno fim de agosto
Em prol da educação
Vem Alexandre ensinar
Com toda dedicação
Como se faz um cordel
Induzindo inspiração

Alexandre também mostra
Ler é ato valioso
Amplia o conhecimento
Deixa o sujeito honroso
E com prosa e poesia
O dia foi valoroso

A partir deste momento
Alguém que não entendia
Versos, estofes e rimas
A forma da poesia
Sabe da literatura
O que antes não sabia

Alexandre fez pensar
No singular e plural
Ensinou sobre cordel
E seu valor cultural
Apostou na interação
De modo sensacional

Digo agora com certeza
O cordel vou ensinar
Cordelistas vão surgir
Pelo que vou trabalhar
E os frutos vão surgir
Nisso podem apostar

< Delma Júlia, Ana Maria Cordeiro, Adriana Suzi, Maria José, Gizelda, Silvaneide Magalhães e Maria das Dores >

Neste encontro proveitoso
O qual tem grande valia
Refletindo o valor
Que nos traz a poesia
Levando aos educadores
O clima da harmonia

Meu campo lê poesia
Refletindo educação
Unificando valores
Educando o cidadão
Somos os educadores
Da Escola São João

Na Escola São João
Tem projeto de leitura
Mostrando que poesia
É arte e é cultura
E de forma popular
É que vamos trabalhar
Com uma visão futura

< Cícero Rubens, Rosenalva, Núbia, Silvana, Ivanilda, Jussara, Elenilda Amaral e Erivoneide Amaral >

A corrupção no Brasil

Para um Brasil decente
Queremos política honesta
Pra preservar os recursos
Que no país inda resta

Promessa sendo dinheiro
O Brasil seria rico
Não tinha tanta miséria
E nem tão pouco fuxico

Se educação fosse meta
Prioritária pra gente
Não existiam fracassos
E nem político indecente

Falando em corrupção
É bem fácil discorrer
O difícil é chegar lá
E nunca se corromper

Com o povo indo às ruas
Algo pode resolver
Só não pode ter estragos
Como estão a ocorrer

< Aldeci >

Isso vale um abraço, Rostand!

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

JUNTO COM A TV BRASIL NAS TRILHAS DE LAMPIÃO EM PERNAMBUCO II

Contando a história da Fazenda Colônia, onde nasceu o cangaceiro Antônio Silvino
Contando a história da Fazenda Colônia, onde nasceu o cangaceiro Antônio Silvino
NO PRÓXIMO DIA 5 DE SETEMBRO, PELA TV BRASIL, ÁS 10 HORAS DA NOITE, VAI SER TRANSMITIDO UM PROGRAMA ESPECÍFICO SOBRE O TEMA CANGAÇO, AO QUAL TIVE O GRANDE HONRA E PRIVILÉGIO DE PARTICIPAR.
O PROGRAMA CAMINHOS DA REPORTAGEM É BEM INTERESSANTE, SÃO JORNALISTAS QUE VIAJAM PELO PAÍS E PELO MUNDO ATRÁS DE GRANDES HISTÓRIAS, TRAZENDO AO TELESPECTADOR UMA VISÃO DIFERENTE, INSTIGANTE E COMPLEXA DE CADA UM DOS ASSUNTOS ESCOLHIDOS. OS JORNALISTAS A QUEM TIVE A OPORTUNIDADE DE CONHECER E QUE TIVE OPORTUNIDADE DE ACOMPANHAR POR ESTES CAMINHOS DO CANGAÇO FORAM A CARINA DOURADO, OSVALDO SANTOS E ALEXANDRE SOUZA.
EM JULHO ÚLTIMO PUBLIQUEI EM NOSSO BLOG, UM PRIMEIRO MATERIAL SOBRE ESTA VIAGEM COM O PESSOAL DA TV BRASIL A PERNAMBUCO, ONDE OS AMIGOS DO NOSSO TOK DE HISTÓRIA (http://tokdehistoria.wordpress.com/2013/07/18/junto-com-a-tv-brasil-nos-caminhos-de-lampiao-em-pernambuco/)
AGORA TRAGO UMA SEGUNDA MOSTRA DE FOTOS DESTA AÇÃO MARAVILHOSA, COM FOTOS CEDIDAS PELOS AMIGOS OSVALDO SANTOS E ALEXANDRE SOUZA.
Este é o grande amigo Braz de Buíque, da Serra da Colônia. Uma grande figura. Neste dia ele estava seguindo montado para uma missa de vaqueiros na vizinha Paraíba, mas deu um ótimo depoimento.
Este é o grande amigo Braz de Buíque, da Serra da Colônia. Uma grande figura. Neste dia ele estava seguindo montado para uma missa de vaqueiros na vizinha Paraíba e deu um ótimo depoimento
Uma panorâmica da região da Fazenda Colônia. Um ótimo local para um filme de época.
Uma panorâmica da região da Fazenda Colônia. Um ótimo local para um filme de época. É só esconder o poste que está um visual original e bem característico das fazendas do passado do Nordeste.
Esta é a Casa Grande das Almas, propriedade que está situada na área rural de Triunfo (PE), na divisa dos estados de Pernambuco com a Paraíba. Sobre este local podemos comentar que é que parte da casa está em Pernambuco, do outro lado é a Paraíba. Dizem que Lampião, era amigo dos proprietários e gostava de jogar cartas neste local. Afirma-se que quando perseguido na região abrigava-se nas Almas, daí,quando a polícia de pernambuco chegava ali, o rei do cangaço passava para o lado paraibano da casa , onde a policia pernambucana não podia atuar, e quando era perseguido pelos paraibanos, fazia o contrário
Esta é a Casa Grande das Almas, propriedade que está situada na área rural de Triunfo (PE), na divisa dos estados de Pernambuco com a Paraíba. Sobre este local podemos comentar que é que parte da casa está em Pernambuco, do outro lado é a Paraíba. Dizem que Lampião, era amigo dos proprietários e gostava de jogar cartas neste local. Afirma-se que quando perseguido na região abrigava-se nas Almas, daí,quando a polícia de pernambuco chegava ali, o rei do cangaço passava para o lado paraibano da casa , onde a policia pernambucana não podia atuar, e quando era perseguido pelos paraibanos, fazia o contrário.
Osvaldo filmando as Almas
Osvaldo filmando as Almas
Na bela cidade serrana de Triunfo. O grande prédio antigo na foto é o cine teatro Guarany, cujo administrador é nosso amigo André Vasconcelos
Na bela cidade serrana de Triunfo. O grande prédio antigo na foto é o cine teatro Guarany, cujo administrador é nosso amigo André Vasconcelos. Outra grande figura.
Aqui a Carina, Osvaldo estão juntos ao grupo de Xaxado de Triunfo e a nossa amiga Diana, grande batalhadora pela cultura de sua região.
Aqui a Carina, Osvaldo estão juntos ao grupo de Xaxado de Triunfo e a nossa amiga Diana, grande batalhadora pela cultura de sua região. Diana é uma grande incentivadora da participação dos jovens de sua cidade neste grupo de Xaxado, a dança dos cangaceiros.
Pelos caminhos do sertão, só não sei o que a Carina estava procurando.
Pelos caminhos do sertão, junto aos amigos André Vasconcelos e Carina Dourado. Só não sei o que a Carina estava procurando!
Na Fazenda Barreiros, de propriedade do amigo Alvaro Severo, na zona rural de Serra Talhada, próximo da Serra Grande, onde ocorreu um dos mais importantes e maior combate da história do cangaço
Na Fazenda Barreiros, de propriedade do amigo Alvaro Severo, na zona rural de Serra Talhada, próximo da Serra Grande, onde ocorreu um dos mais importantes e maior combate da história do cangaço
Pelos caminhos da Serra Grande, tendo a frente o Seu Luiz, sertanejo de grande coração, que conhece tudo da fauna e flora da caatinga.
Pelos caminhos da Serra Grande, tendo a frente o Seu Luiz, sertanejo de grande coração, que conhece tudo da fauna e flora da caatinga. Estando com ele o turista não passa fome nesta região
Seu Luiz mostrando os segredos da flora do sertão, úteis a sobrevivência em uma região seca
Seu Luiz mostrando os segredos da flora do sertão, úteis a sobrevivência em uma região seca
Panorâmica da Serra Grande. Quase sete horas de caminhada, entre subidas e descidas.
Panorâmica da Serra Grande. Quase sete horas de caminhada, entre subidas e descidas.
Outro visual da serra
Outro visual da serra
Outra parada para conhecer a flora da caatinga
Outra parada para conhecer a flora da caatinga
Deu para aprender bastante
Deu para aprender bastante
No alto da serra, junto com nosso animal de estimação, o pequinês que a tudo escutava. Era um microfone na mão do Fred, outro grande companheiro de viagem.
No alto da serra, junto com nosso animal de estimação, o pequinês que a tudo escutava. Era um microfone na mão do Fred, outro grande companheiro de viagem.
O amigo Alvaro Severo, que desenvolve um maravilhoso projeto de aproveitamento ecoturístico na região, com intensa participação do pessoal do local, comentado sobre a grande luta no alto da serra
O amigo Alvaro Severo, que desenvolve um maravilhoso projeto de aproveitamento ecoturístico na região, com intensa participação do pessoal do local, comentado sobre a grande luta no alto da serra
Toda a galera reunida no alto da serra
Toda a galera reunida no alto da serra
Bem, depois da Serra Grande eu voltei para casa, mas a galera da TV Brasil seguiu viagem. Estiveram na cidade baiana de Paulo Afonso, onde nosso amigo João de Souza Lima, grande pesquisador do cangaço, autor de livros, apresentou a região aos jornalistas. João é uma grande figura, a quem tenho extremo respeito
Bem, depois da Serra Grande eu voltei para casa, mas a galera da TV Brasil seguiu viagem. Estiveram na cidade baiana de Paulo Afonso, onde nosso amigo João de Souza Lima, grande pesquisador do cangaço, autor de livros, apresentou a região aos jornalistas. João é uma grande figura, a quem tenho extremo respeito pela pessoa e seu trabalho. João mostra a cruz que marca o local da morte de Antônio Curvina. Para saber mais, assista o programa dia 5 de setembro, na TV Brasil, ás 10 da noite
Osvaldo em frente a casa de Maria Bonita, que foi fielmente restaurada e hoje é local de visitação
Osvaldo em frente a casa de Maria Bonita, que foi fielmente restaurada e hoje é local de visitação
Os amigos Osvaldo e Alexandre Souza entrevistando Seu Coquinho. Ele contou ótimas histórias sobre Lampião e seu bando Ele reside no povoado Brejo do Burgo, Bahia
Os amigos Osvaldo e Alexandre Souza entrevistando Seu Coquinho. Ele contou ótimas histórias sobre Lampião e seu bando Ele reside no povoado Brejo do Burgo, Bahia
Local próximo da casa onde Lampião costumava fazer seus bailes
Local próximo da casa onde Lampião costumava fazer seus bailes
No próximo dia 5 de setembro, ás 10 da noite, na TV Brasil, vamos ver o resultado deste trabalho. Um abração a todos
No próximo dia 5 de setembro, ás 10 da noite, na TV Brasil, vamos ver o resultado deste trabalho. Um abração a todos

 
 
 
 
Template modificado por WMF-Mídia Design | (87) 9918-2640 / 9620-2552