A arte explica a vida

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

contradições humanas (7) 

     As obras de Pawel Kuczynski fazem uma crítica precisa, ferrenha e penetrante contra a sociedade moderna.
   Seus desenhos nos convidam a refletir sobre assuntos sérios que passam despercebidos por muitas pessoas.
  Isso mostra como Kuczynski é um excelente artista, pois que outra função teria a arte senão nos fazer refletir?
 
Veja mais em http://awebic.com/cultura/contradicoes-humanas/

TUDO QUE VICIA COMEÇA COM C

                                             Por LUIZ FERNANDO VERÍSSIMO
 
      "Tudo que vicia começa com C. Por alguma razão que ainda desconheço, minha mente foi tomada por uma ideia um tanto sinistra: vícios. Refleti sobre todos os vícios que corrompem a humanidade. Pensei, pensei e, de repente, um insight: tudo que vicia começa com a letra C! De drogas leves a pesadas, bebidas, comidas ou diversões, percebi que todo vício curiosamente iniciava com cê. Inicialmente, lembrei do cigarro que causa mais dependência que muita droga pesada. Cigarro vicia e começa com a letra c. Depois, lembrei das drogas pesadas: cocaína, crack e maconha. Vale lembrar que maconha é apenas o apelido da cannabis sativa que também começa com cê. Entre as bebidas super populares há a cachaça, a cerveja e o café. Os gaúchos até abrem mão do vício matinal do café mas não deixam de tomar seu chimarrão que também - adivinha - começa com a letra c. Refletindo sobre este padrão, cheguei à resposta da questão que por anos atormentou minha vida: por que a Coca-Cola vicia e a Pepsi não? Tendo fórmulas e sabores praticamente idênticos, deveria haver alguma explicação para este fenômeno. Naquele dia, meu insight finalmente revelara a resposta. É que a Coca tem dois cês no nome enquanto a Pepsi não tem nenhum. Impressionante, hein? E o computador e o chocolate? Estes dispensam comentários. Os vícios alimentares conhecemos aos montes, principalmente daqueles alimentos carregados com sal e açúcar. Sal é cloreto de sódio. E o açúcar que vicia é aquele extraído da cana. Algumas músicas também causam dependência. Recentemente, testemunhei a popularização de uma droga musical chamada "créeeeeeu". Ficou todo o mundo viciadinho, principalmente quando o ritmo atingia a velocidade... cinco. Nesta altura, você pode estar pensando: sexo vicia e não começa com a letra C. Pois você está redondamente enganado. Sexo não tem esta qualidade porque denota simplesmente a conformação orgânica que permite distinguir o homem da mulher. O que vicia é o "ato sexual", e este é denominado coito. Pois é. Coincidências ou não, tudo que vicia começa com cê. Mas atenção: nem tudo que começa com cê vicia. Se fosse assim, estaríamos salvos pois a humanidade seria viciada em Cultura..."

Tabaqueiros

       Os tabaqueiros são as figuras mais presentes no Carnaval de minha terra, Afogados da Ingazeira - PE. São a marca do Carnaval, na verdade. É difícil encontrar alguem na cidade que não tenha sido tabaqueiro por um dia. Pelo menos entre os homens.
     O mérito é não ser reconhecido. Vale qualquer roupa e qualquer máscara, mas os chocalhos e o relho são acessórios indispensáveis. Aí é só sair pelas ruas, correndo pra os chocalhos chocalharem e estalando o relho. Este, aliás, tem sido o centro de uma grande polêmica: há quem queira proibir seu uso.
       O problema é que semanas e até meses antes do Carnaval a cidade já enche de garotos estalando relhos. E aí, mesmo pra quem já fez isso, como eu, e defende as tradições populares, como eu, é um incômodo arretado.
      Que o bom senso prevalece. E que o Carnaval seja como deve ser: cheio de tabaqueiros.


Mais Tabaqueiros



Exibindo tabaqueiro.jpg
Exibindo Tabaqueiros.jpg

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Olha aí, coisa boa de se ver e se ouvir

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Pegando umas deixas de Dudu Morais

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

O MUNDO ENSINA AO SÁBIO
SER JUSTO NO QUE DEFENDE,
QUE ALEGRIA NÃO SE COMPRA,
QUE CARÁTER NÃO SE VENDE,
MAS TEM COISAS NESSA VIDA
QUE NEM TODO MUNDO APRENDE.

Dudu Morais

MAS HÁ TOLO QUE ENTENDE
QUE VALE MAIS O PODER
QUE DINHEIRO VALE TUDO
QUE MAIS VALE O VERBO TER
E ESQUECE QUE HUMILDADE
É QUE MAIS PREENCHE O SER

Alexandre Morais 


VENCER PELO PRÓPRIO MÉRITO,
SEM SUGAR SUOR ALHEIO,
SUBIR DEGRAUS SENDO HONESTO,
SEM PRECISAR DE OUTRO MEIO.
QUE A NOSSA VIDA É INTENSA
E PRA FAZER A DIFERENÇA
TEM QUE MOSTRAR PRA QUE VEIO.

Dudu Morais

A ILUSÃO É ESTEIO
PARA QUEM NÃO SE ACEITA
PRA QUEM VIVE DE IMAGEM
NO SUPÉRFLUO SE DELEITA
QUEM BUSCA DO OUTRO A FAMA
FAZ DA CONSCIÊNCIA CAMA
ONDE O ORGULHO SE DEITA

Alexandre Morais 

É desse jeito

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Verso grande

Aborto é assassinar
Quem mais queria viver
Crime bárbaro porque mata
Antes do feto nascer
Covardia por que a vítima
Não pode se defender

< Raimundo Caetano >


A melhor maneira de acordar o domingo

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Divulgada mais uma lista de selecionados no Mais Cultura nas Escolas

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Fonte: site do Ministério da Cultura

As crianças e jovens das escolas públicas brasileiras experimentarão a dança, a pintura, o canto e o artesanato dos povos indígenas; técnicas de audiovisual para a produção de animação infantil, além dos elementos culturais do hip hop, como a dança de rua, o graffiti e o rap.
Esses são alguns dos exemplos das atividades que estão sendo selecionadas para serem desenvolvidas nas 5 mil escolas de ensino fundamental e médio incluídas no Programa Mais Cultura nas Escolas. As escolas selecionadas para participarem do Programa estão sendo divulgadas pelos Ministérios da Cultura e Educação em três etapas. A primeira lista, com 1.001 escolas foi publicada no site dos dois ministérios no dia 10 de janeiro e a segunda, com mais 447 escolas foi divulgada nesta quinta-feira (13). No dia 10 de março, o MinC e o MEC divulgarão mais uma lista de selecionados.
O Programa Mais Cultura nas Escolas, uma parceria dos Ministérios da Cultura e da Educação, tem investimento de R$ 100 milhões em sua primeira etapa e cada projeto selecionado receberá entre R$ 20 mil e R$ 22 mil do Programa Dinheiro Direto na Escola do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação para desenvolver as atividades culturais em 2014. O valor será calculado conforme o número de alunos matriculados na escola. O recurso deverá ser investido na  contratação de serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas, que poderão acontecer dentro ou fora da escola - durante o ano letivo, por no mínimo 6 meses.
"As crianças e os jovens terão oportunidade de vivenciar experiências inovadoras nesse processo educacional com iniciativas culturais produzidas em sua localidade", comenta o secretário de Políticas Culturais do Ministério da Cultura, Américo Córdula. A Secretaria de Políticas Culturais, por meio da Diretoria de Educação e Comunicação para a Cultura, é a responsável pela criação e desenvolvimento do Programa Mais Cultura nas Escolas.
O Mais Cultura Nas Escolas pretende potencializar processos de ensino e aprendizado por meio da democratização do acesso à cultura e da integração de práticas criativas e da diversidade cultural brasileira à educação integral.
 
Eixos Temáticos
Cada um dos projetos inscritos poderia dialogar com um ou mais eixos. Desse modo, o Mais Cultura nas Escolas procura incentivar o diálogo entre as várias linguagens artísticas e a diversidade da cultura brasileira. Os nove eixos temáticos estabelecidos  pelo Programa são: Criação, Circulação e Difusão da Produção Artística; Cultura Afro-brasileira; Promoção Cultural e Pedagógicas em Espaços Culturais; Educação Patrimonial; Tradição oral; Cultura Digital e Comunicação; Educação Museal; Culturas Indígenas; e Residências Artísticas para Pesquisa e Experimentação nas Escolas.
Das 14 mil escolas habilitadas para participarem do Programa Mais Cultura nas Escolas 63,17% escolheram apenas um eixo, sendo o mais procurado o de Criação, Circulação e Difusão da Produção Artística, com 10.070 projetos. O segundo eixo que teve mais inscrições foi o de Cultura Afro-brasileira, com 3.937 projetos apresentados. O eixo Promoção Cultural e Pedagógicas em Espaços Culturais foi o terceiro mais procurado, com 2.890 projetos, seguido do eixo Educação Patrimonial, com 2.386 inscrições.
O eixo Tradição Oral foi o quinto mais procurado, com 1.685 projetos inscritos, e em seguida, o eixo Cultura Digital e Comunicação com 1.580 inscrições. Em sétimo lugar ficou o eixo Educação Museal com 982 projetos apresentados, seguido pelo eixo Culturas Indígenas com 834 inscrições. O eixo menos procurado foi o de Residências Artísticas para Pesquisa e Experimentação nas Escolas com 777 projetos inscritos.
Veja alguns do Projetos Aprovados
Cultura Indígena
A Escola Municipal de Ensino Básico Ítalo Damiani de São Bernardo do Campo (SP) e próxima à aldeia guarani que fica na região de Taquacetuba, propiciará a seus alunos o a vivência da cultura indígena do povo guarani. O projeto de atividades culturais, que será desenvolvido pelo professor e ator Roger Muniz, incluem realizações, semanalmente, de brincadeiras indígenas, envolvendo música e teatro; apresentação de cânticos guarani por indígenas da região – crianças, adultos e idosos; e contação e encenação de histórias indígenas. O professor Roger Muniz, que desenvolve trabalhos com a aldeia Krukutu, levará ainda os alunos para conhecerem a vivência da comunidade indígena, promovendo a integração entre estudantes da escola com a comunidade indígena vizinha à escola.
Cultural Digital e Comunicação
A Escola Municipal Professora Aurora Costa de Carvalho, no município de Nísia Floresta (RN), selecionou um projeto do eixo Cultura Digital e Comunicação, que será ministrado pelo desenhista, ilustrador, editor e produtor de filmes e animações Lula Borges. Pelo projeto, os alunos da escola receberão formação em linguagem audiovisual, especialmente na técnica da animação, com a perspectiva de se formar um grupo local de realizadores e de se contribuir com a difusão do cinema de animação. O projeto prevê a realização de 60 exibições de filmes de animação, oficinas básicas de animação – com aulas de roteiro, massinha e desenho - e produção da série de animação com ao menos 10 filmes realizados pelos alunos. No final do projeto será realizada uma Mostra de Cinema de Animação no município.
Cultura Afro-Brasileira
A Escola Municipal de Ensino Fundamental Senador Teotônio Vilela de São Paulo(SP), oferecerá aos seus alunos, por meio do Programa Mais Cultura nas Escolas, aulas sobre Cultura afro-brasileira. O Plano de Atividades, que será desenvolvido pelo Coletivo Cultural Poesia na Brasa – o Saraunabrasa da Vila Brasilândia-, incluirá as três linguagens artísticas (literatura, dança e música) vivenciadas sob a perspectiva da Cultura afro-brasileira. As aulas, que serão ministradas Sidnei Silva Júnior, propiciarão aos alunos conhecimentos como a poesia e a literatura afro-brasileira de identidade e resgate cultural. As atividades de dança abordarão as heranças africanas no Brasil e como isso se refletiu sobre a Cultura Popular Brasileira e terão oficinas de danças como o Samba de Bumbo e Jongo. Na área da música, além da História da Música afro-brasileira, os alunos conhecerão os ritmos do berimbau, além de fazerem oficina para aprender a construir o instrumento. Durante o desenvolvimento do Plano de Atividade Cultural os participantes deverão escolher lugares relacionados à história da cultura afro-brasileira para que os mesmos sejam visitados.
Criação, Circulação e Difusão da Produção Artística
A Escola Municipal de Ensino Fundamental Bela Flor, que fica no município de Epitacolândia (AC), levará aos seus estudantes, conhecimentos relacionado às artes como teatro de fantoches e contação de histórias. O Projeto de Atividade Cultural, apresentado pela Biblioteca de Epitacolândia e que será desenvolvido pela agente de leitura da região Lilia Valdivino de Oliveira ao longo de seis meses, terá como foco o cotidiano escolar e a cultura local. Estão previstas roda de leitura de literatura de cordel, além da criação e apresentação de musicais por alunos da escola e funcionários da Biblioteca e a realização de saraus na escola.  
Confira aqui a lista total com as 1.448 escolas já selecionadas.

(Texto: Heli Espíndola, Ascom/SPC/MinC)
(Fotos: Foto 1-Gustavo Pires
Foto 2-Jogos Indígenas- Lenine Martins/Secom/MT
Foto 3-Conferência de Cultura do Extremo Sul/BA-Divulgação/Comunicação/Regional MinC/Bahia e Sergipe)

Uma beleza de animação para uma beleza de verso. Ela, de Marcos Buccini. Ele, de Chico Pedrosa

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Sumé é surreal



Olha a foto capturada do facebook de Jorge Filó. O título tambem foi copiado de Jorge. Apropriadíssimo, né não? Sumé fica no interior da amável Paraíba.

A poesia como ferramenta para o fazer pedagógico: encontro de formação com professores de Solidão - PE

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014





      Eis que lá fomos nós para mais uma missão de espalhar poesia por aí. Desse fomos a Solidão, minha vizinha pajeuzeira, em atividade de formação para professores. Esta, aliás, é a minha preferida, posto que trabalhamos com formadores, multiplicadores e outras dores que estes mestres representam. Quer dizer, assumem a missão de levar adiante a poesia nossa de cada dia.
     E foram dois os dias. O primeiro com professores do 1º ao 5º ano e o segundo com professores do 6º ao 9º ano, este envolvendo as redes municipal e estadual de ensino. Foram gratificantes. Fortificantes pra mim. Alguns relatos finais renovaram ainda mais minha convicção de que a poesia, além de bela, é essencial à humanidade. E se bem utilizada, é uma grande janela para o fazer pedagógico.
     Pois bem, dias maravilhosos e ao final, com sempre: vamos produzir? As respostas foram as mesmas de outros recantos: não sei, nunca fiz, não sai nada... enfim, essas mentes brilhantes não se conhecem. Desfeitos os nãos, a produção foi memorável.


    Reforço os agradecimentos à Secretaria de Educação do município, especialmente à secretária Simony Marques e Dilza pelo companheirismo e toda a equipe de professores pelo respeito e atenção. Ainda aos amigos poetas Dedé Monteiro, Dudu Morais e Zecarlos do Pajeú, que apareceram para abrilhantar os momentos. Tambem às professoras Rejane Barbosa e Verônica Sobral, estrelas que já conhecem os benefícios da união poesia/educação, e ao professor Israel Silveira, companheiro formador nesta jornada.
     E vamos aos resultados:

VERSOS DA FORMAÇÃO COM PROFESSORES DO 1º AO 5º ANO

A copa


A copa já tá chegando

Mas será que vale a pena
Empregar tantos recursos
Com construção de arena
E o povo passando fome
Quando a seca lhe condena?

Fazer copa em um país
Que educação não tem vez
Com o analfabetismo
O governo o que é que fez?
Convida membros da Fifa
E marca a festa do mês

É fato e não ficção
Que a nossa educação
Está por Dilma esquecida
O Brasil não tem dinheiro
Mas a copa vem primeiro
Que os valores da vida

Nesse Brasil atrasado
Educação tá de lado
Só um cego que não vê
Milhões ganha um jogador
Miséria um professor
Que ensina o mundo a lê

Ergue a bandeira, Brasil
Faz investimentos mil
Em saúde e educação
Copa é acontecimento
Que não vale investimento
De uma pobre nação

< Kátia Ferreira, Anemília Neta, Maria Benigna, Rejane, Damiana, Edilene, Dalcineide, Dalcinete, Ana Maria, Vanilza e Vagna Rejane >

As férias



O período é de descanso
O futuro está na frente
O aprendizado é contínuo
O passado está na mente
De todo bom professor
Que quer fazer diferente

Retornar para o trabalho
Para isto eu tenho pressa
Acreditar no melhor
Foi e é minha promessa
Sendo assim bom professor
Sei que vai ser bom à beça

Passo o mês de janeiro
É hora de retornar
A escola é o caminho
Para o cidadão formar
Junto num objetivo
É hora de transformar

< Lúcia, Norma, Jacinete, Amélia, Selene, Joselma, Zezinha, Sônia, Valdilene, Rosilene e Lizany >

 
 
 
 
Template modificado por WMF-Mídia Design | (87) 9918-2640 / 9620-2552