Ê, vida boa!

quinta-feira, 31 de maio de 2012


Maria Dapaz faz uma homenagem especial ao Rei do Baião com o lançamento do CD Vida de Viajante em edição especial Centenário Luiz Gonzaga, mostrando o que tem de mais verdadeiro no legado musical deixado por ele.Este CD já foi indicado ao Grammy Latino nas categorias "Melhor CD de Raiz Brasileira" e "Melhor Intérprete". Lançamento gravadora Atração.

À venda no site oficial http://www.mariadapaz.com/index.php?cerne=cerne_pre_venda_cd  
Entrega em qualquer lugar do Brasil
Joma Produções - Divulgação
(11) 9627.0936

 
Sorrir e Cantar
 Rogaciano Leite / Itapetim - PE

Quando falas porque vivo sorrindo
Falas também por viver cantando
Se a vida é bela e se este mundo é lindo
Não há razão para eu viver chorando

Cantar é sempre o que a fazer eu ando
Sorrir é sempre meu prazer infíndo
Se canto e rio,é porque vivo amando
Se amo e canto,é por que vivo rindo.

Se o pranto morre quando nasce o canto
Eu canto e rio pra matar o pranto
E gosto muito de quem canta e rí

Logo bem vês por estes dotes meus
Que quando canto estou pensando em Deus
E quando rio estou pensando em tí.
 


Grandes frases, por grande homens

 Colaboração: Aristeu Bezerra
Chegarei de surpresa dia 15, às duas da tarde, vôo 619 da VARIG.'
(Mengálvio, ex-meia do Santos, em telegrama à família quando em excursão à Europa) 

'Tanto na minha vida futebolística quanto com a minha vida ser humana.'
(Nunes, ex-atacante do Flamengo, em uma entrevista antes do jogo de despedida do Zico)


'Que interessante, aqui no Japão só tem carro importado Japonês.'
(Jardel, ex-atacante do Grêmio)


'As pessoas querem que o Brasil vença e ganhe.'
(Dunga, em entrevista ao programa Terceiro Tempo)


'Eu, o Paulo Nunes e o Dinho vamos fazer uma dupla sertaneja.'
(Jardel, ex-atacante do Grêmio)


'O novo apelido do Aloísio é CB, Sangue Bom.'
(Souza, meio-campo do São Paulo, em uma entrevista ao Jogo Duro)


'A partir de agora o meu coração só tem uma cor: vermelho e preto.'
(Jogador Fabão, assim que chegou no Flamengo)


'Eu peguei a bola no meio de campo e fui fondo, fui fondo, fui fondo e chutei pro gol.'
(Jardel, ex- jogador do  Grêmio, ao relatar ao repórter o gol que tinha feito)


'A bola ia indo, indo, indo... e iu!'
(Nunes, jogador do Flamengo da década de 80)


'Tenho o maior orgulho de jogar na terra onde Cristo nasceu.'
(Claudiomiro, ex-meia do Inter de Porto Alegre, ao chegar em Belém do Pará para disputar uma partida contra o Paysandu, pelo Brasileirão de 72)


'Nem que eu tivesse dois pulmões eu alcançava essa bola.'
(Bradock, amigo de Romário, reclamando de um passe longo)


'No México que é bom. Lá a gente recebe semanalmente de 15 em 15 dias.'
(Ferreira, ex-ponta esquerda do Santos)


'Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe.'
(Jardel, ex-atacante do  Grêmio e da Seleção)


'O meu clube estava a beira do precipício, mas tomou a decisão correta, deu um passo a frente...'
(João Pinto, jogador do Benfica de Portugal)


'Na Bahia é todo mundo muito simpático. É um povo muito hospitalar.'
(Zanata, baiano, ex-lateral do Fluminense, ao comentar sobre a hospitalidade do povo baiano)


'Jogador tem que ser completo como o pato, que é um bicho aquático e gramático.'
(Vicente Matheus, eterno presidente do Corinthians)


'O difícil, como vocês sabem, não é fácil.'
(Vicente Matheus)


'Haja o que hajar, o Corinthians vai ser campeão.'
(Vicente Matheus)


'O Sócrates é invendável, inegociável e imprestável.'
(Vicente Matheus, ao recusar a oferta dos franceses)
Imgem copiada de: http://www.pontoxp.com/futebol-ao-vivo-na-internet-transmissao-online/

E aí, tu vai?

quarta-feira, 23 de maio de 2012


É CHUVA NO SERTÃO

Choveu de com força no Sertão do Pajeú. Quase ninguém esperava, nem a sabida metereologia, mas só em Afogados da Ingazeira foram 81 milímetros. Outro dia, quando aconteceu algo parecido, eu disse:

A metereologia
Estuda, analisa o clima
E o que vai vir lá de cima,
Pra todo mundo anuncia:
Tempo quente, frente fria,
Quanta chuva vai cair...
Mas nem adianta ouvir,
Que o homem costuma errar,
Só Deus faz o céu chorar
Pro sertanejo sorrir.
E a foto, o que é que tem a ver com isso? É Claudim chovendo arte pra gente, meu fi!


Viva Cancão e quem faz Cancão ficar Vivo

domingo, 20 de maio de 2012

Ésio Rafael, Edison Roberto, Marcos Passos e Eduardo Abranttes. (Foto: Ricardo Moura)

Cancão é homenageado em aula espetáculo 

     Rogaciano Leite, poeta popular do Pajeú, não falava sobre Cancão. Dizia que não era capaz. O poeta com nome de pássaro era inefável demais até mesmo para um outro poeta do sertão, cheio de pontos de encontro com ele, como era o caso de Rogaciano. É o que conta o poeta e estudioso da obra de Cancão, Ésio Rafael (Confira aqui entrevista com o pesquisador). Na aula espetáculo de ontem (16/05), “Serra do Teixeira e o nascimento do pássaro poeta , em homenagem ao centenário de Cancão, além de Ésio, Edison Roberto, o poeta Marcos Passos e o músico Eduardo Abranttes deixaram clara a dificuldade de enquadrar, definir, falar sobre o poeta.

      Os equívocos na interpretação da sua obra por parte da crítica também foram mencionados. Edison Roberto avalia que Cancão é um poeta de conceito e imagem, e não um poeta descritivo, como já disseram alguns críticos. “Ele subverteu toda uma ordem vigente no Pajeú, na poesia sertaneja, na poesia popular, que foi o fato dele ter abandonado a viola”, explica o professor sobre a transição de Cancão da poesia oral para a poesia escrita, algo pouco usual na época.
     A força das imagens e a forte musicalidade dos poemas  de Cancão foram exaltadas, assim como sua genialidade e sensibilidade. As questões perenes que tentam definir se Cancão foi um poeta erudito ou matuto também foram debatidas.
     Marcos Passos declamou alguns poemas,  e o Músico Eduardo Abranttes apresentou à platéia uma versão musicada de um escrito do pássaro poeta.
     Confira Marcos Passos recitando o poema Dia de Chuva, acompanhado por Eduardo Abranttes no violão:
http://clisertao.com/

 

Mais vale a fé

Nessas andanças minhas, eis onde eu cheguei. Fica lá no alto da Serra da Matinha, município de Carnaíba - PE. Aí se vê a parede da frente da Egreja, mas as laterais e o teto são de pedra. Isso mesmo, de pedras postas ali pelo Grande Pedreiro.
Chegar lá é bom demais. Descobrir que ali há devoção para Nosa Ciora dais Dores e para Meu Pad Cisero é melhor ainda.
Isso é fé e muita cultura! Isso é mais que cultura, é cultura e coisa tal...

Destino: Pedra do Reino

Pessoal, de novo é época da Cavalgada da Pedra do Reino, em São José do Belmonte - PE. Vale muito a pena e a programação está muito boa e muito além da cavalgada. Confira tudo em http://www.poetaciceromoraes.com/

MURMÚRIO Cecília Meireles

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Traze-me um pouco das sombras serenas
que as nuvens transportam por cima do dia!
Um pouco de sombra, apenas,
- vê que nem te peço alegria.

Traze-me um pouco da alvura dos luares
que a noite sustenta no teu coração!
A alvura, apenas, dos ares:
- vê que nem te peço ilusão.

Traze-me um pouco da tua lembrança,
aroma perdido, saudade da flor!
- Vê que nem te digo – esperança!
- Vê que nem sequer sonho – amor!

Colaboração: Aristeu Bezerra

quinta-feira, 17 de maio de 2012


Para que levar a vida tão a sério se ela é uma incansável batalha da qual jamais sairemos vivos ?!?!  
Bob Marley
 
Foto copiada de: http://redealmeidense.com.br/reggue/2012/03/simbolo-de-regge-frases-de-bob-marley.html
Colaboração: Deodoro Carvalho

segunda-feira, 14 de maio de 2012


domingo, 13 de maio de 2012


Saudades - Clarice Lispector

sábado, 5 de maio de 2012


Sinto saudades de tudo que marcou a minha vida.
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros,
quando escuto uma voz, quando me lembro do passado,
eu sinto saudades...

Sinto saudades de amigos que nunca mais vi,
de pessoas com quem não mais falei ou cruzei...

Sinto saudades da minha infância,
do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro,
do penúltimo e daqueles que ainda vou ter, se Deus quiser...

Sinto saudades do presente,
que não aproveitei de todo,
lembrando do passado
e apostando no futuro...

Sinto saudades do futuro,
que se idealizado,
provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser...

Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei!
De quem disse que viria
e nem apareceu;
de quem apareceu correndo,
sem me conhecer direito,
de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer.

Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito!

Daqueles que não tiveram
como me dizer adeus;
de gente que passou na calçada contrária da minha vida
e que só enxerguei de vislumbre!

Sinto saudades de coisas que tive
e de outras que não tive
mas quis muito ter!

Sinto saudades de coisas
que nem sei se existiram.

Sinto saudades de coisas sérias,
de coisas hilariantes,
de casos, de experiências...

Sinto saudades do cachorrinho que eu tive um dia
e que me amava fielmente, como só os cães são capazes de fazer!

Sinto saudades dos livros que li e que me fizeram viajar!

Sinto saudades dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar,

Sinto saudades das coisas que vivi
e das que deixei passar,
sem curtir na totalidade.

Quantas vezes tenho vonta de encontrar não sei o que...
não sei onde...
para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi...

Vejo o mundo girando e penso que poderia estar sentindo saudades
Em japonês, em russo,
em italiano, em inglês...
mas que minha saudade,
por eu ter nascido no Brasil,
só fala português, embora, lá no fundo, possa ser poliglota.

Aliás, dizem que costuma-se usar sempre a língua pátria,
espontaneamente quando
estamos desesperados...
para contar dinheiro... fazer amor...
declarar sentimentos fortes...
seja lá em que lugar do mundo estejamos.

Eu acredito que um simples
"I miss you"
ou seja lá
como possamos traduzir saudade em outra língua,
nunca terá a mesma força e significado da nossa palavrinha.

Talvez não exprima corretamente
a imensa falta
que sentimos de coisas
ou pessoas queridas.

E é por isso que eu tenho mais saudades...
Porque encontrei uma palavra
para usar todas as vezes
em que sinto este aperto no peito,
meio nostálgico, meio gostoso,
mas que funciona melhor
do que um sinal vital
quando se quer falar de vida
e de sentimentos.

Ela é a prova inequívoca
de que somos sensíveis!
De que amamos muito
o que tivemos
e lamentamos as coisas boas
que perdemos ao longo da nossa existência..."


Imagem copiada de: http://notape.com.br/blog/?p=2146
Colaboração de Aristeu Bezerra 

Feira Internacional de Artesanato em Petrolina

 
     Petrolina recebe, de 04 a 13 de maio, a primeira edição da Feincartes – Feira Internacional de Artesanato e Decoração. O evento conta com mais de 100 Stands divididos entre Artesãos e Artistas de Petrolina e mais 10 estados brasileiros como: Espírito Santo,Goiânia , Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, São Paulo e Tocantins. E mais 13 países como: África do Sul, Filipinas, Gana, Índia, Indonésia, Itália, Marrocos, Palestina, Paquistão, Peru, Senegal, Tailândia e Turquia distribuídos em estandes com as mais diversas novidades em objetos de decoração, acessórios , tecidos bordados a mão.
     A tenda e marroquina também se destacam pela diversidade de produtos como: luminárias em bronze, cerâmica, ferro forjado e muitos outros daquele País, a Turquia traz luminárias ricas e detalhes, ainda da Turquia taças e copos pintadas a ouro, a Índia com os tapetes, colchas bordadas com ricos detalhes. A Itália com famoso murano, a indonésia com grande variedade em madeira teca e madrepérola, o Paquistão traz tecidos com muito brilho e pedrarias típicas, os Artesãos da África do Sul com artesanato típico muito colorido.
     A Feincartes promove uma verdadeira viagem aos seus visitantes, que além de  terem a oportunidade de adquirir produtos nacionais e internacionais, entram em contato diretamente com artesão nacionais e internacionais conhecendo suas histórias e diferentes nuances culturais.

Fonte: Empetur
Foto copiada de: http://pastoreduardosilva.blogspot.com.br/2012/02/petrolina-rainha-do-sertao-pernambucano.html

Cavalgada em Taquaritinga


Teatro em Tabira

    Os Saltimbancos conta a história de quatro animais revoltados com as obrigações impostas pelos seus patrões. Um jumento que não aguenta mais carregar peso nas costas e ser chamado de burro; um cachorro cansado de ser cão-de-guarda; uma galinha que não bota mais ovo e uma gata de madame desejando liberdade para poder cantar. Uma história para toda família.

Data: 19 de Maio de 2012
Local: Clube Lítero Social Tabirense(ao lado da rodoviária)
Tabira- PE
Contatos (87) 9927.2250 / 9936.0982
Email:neidenascimentope@hotmail.com

 
 
 
 
Template modificado por WMF-Mídia Design | (87) 9918-2640 / 9620-2552