domingo, 18 de abril de 2021

abril 18, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários


 

sábado, 17 de abril de 2021

abril 17, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários


 BLOG PONTO DE VISTA 

Prefeito na Lei Seca

O prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel (PSL), foi multado em R$ 2.934,70 e teve a carteira de habilitação recolhida durante uma blitz da Operação Lei Seca no Recife por dirigir embriagado. O caso aconteceu no domingo (11), no bairro do Pina, na Zona Sul da capital pernambucana. Por meio de nota, Raimundo Pimentel afirmou que foi parado na blitz após tomar uma taça de vinho em um restaurante que fica a pouco mais de um quilômetro da casa do filho do prefeito e disse que teve a carteira de habilitação retida por algumas horas.

 AFOGADOS FM 

Leite contra a Covid

Mulheres vacinadas produzem leite materno com anticorpos para a covid-19. É o que aponta estudo israelense publicado esta semana no periódico científico americano Jama. Os anticorpos no leite materno sugerem potencial efeito protetor contra a infecção em bebês, mas ainda são necessários mais estudos. A pesquisa acompanhou um grupo de 84 mulheres em Israel; todas haviam recebido duas doses da vacina Pfizer Biontech com 21 dias de intervalo. Nas amostras de leite materno foram encontrados anticorpos IgA e IgG, específicos para o novo coronavírus, seis semanas após a vacinação.

 BLOG DO FINFA 

Lives com prefeitos

Nesta segunda-feira (19), tem início uma nova série de lives com prefeitos pernambucanos, sempre às 19:30 horas. O primeiro convidado será o prefeito de Afogados da Ingazeira, Alessandro Palmeira. Na quarta-feira (21), será o prefeito de Iguaracy, Zeinha Torres. No nosso bate papo, iremos tratar dos 100 dias e ações da gestão, política municipal, estadual e nacional, entre outros assuntos. Assista pelo instagram do blog, @blogdofinfaoficial.


 BLOG DO NILL JÚNIOR 

Vai por decreto mesmo

Durante sessão da Câmara de Vereadores de Carnaíba, os parlamentares do bloco de oposição Neudo da Itã, Irmão Paulinho, Vanderbio Quixabeira e Matheus Francisco, votaram contra e derrotaram o Projeto de Lei de autoria do presidente da Casa, Cícero Batista, que denominaria de Luiz Leôncio da Silva a mini-ponte da entrada do Povoado Roça de Dentro, na zona rural do município. Por este motivo, o prefeito Anchieta Patriota resolveu nomear a ponte através de Decreto Municipal. Justificou com decisão do STF.


 G1 CARUARU 



O suspeito de matar o delegado Anderson Liberato (foto), de 32 anos, em Jataúba-PE, foi morto a tiros na noite deste sábado (17) dentro de uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito havia sido baleado em Jataúba após atirar contra o delegado. Como ficou ferido, ele foi socorrido ao Hospital Regional do Agreste (HRA), em Caruaru. O coordenador do Samu Regional, Pedro Henrique Gonçalves, informou que a ambulância foi abordada na BR-104 por um veículo no qual estavam homens armados. Segundo Pedro Henrique, o suspeito foi morto dentro da ambulância do Samu Jataúba das proximidades de uma área conhecida como Juriti, em Caruaru.

 

 BLOG DO ITAMAR 


Rachel quer R$ 30 milhões


A jornalista Rachel Sheherazade  relatou, em setembro de 2020, que ficou sabendo de sua demissão do SBT por um e-mail. Em rebate ao ato, há um mês, a jornalista acionou a justiça contra a empresa de Silvio Santos, exigindo indenização de R$ 30 milhões. Mesmo sendo contratada como pessoa jurídica, Rachel alega que tinha obrigações como qualquer funcionário de carteira assinada, como plantões, horas extras, jornadas maiores nos 11 anos que ficou na empresa, entre outras funções. Quando demitida, ela recebia R$ 200 mil mensalmente, além dos R$ 30 mil de auxílio moradia.


 ESTADÃO 


Mais de 50 cãezinhos estão à procura de um lar, depois que o casal que cuidava deles morreu de covid-19, em Rio Claro, interior de São Paulo. Com a morte de marido e mulher que moravam sozinhos, a casa alugada (foto) em que os cachorros vivem terá de ser devolvida ao proprietário até o dia 10 de maio próximo. Um grupo de voluntários se mobilizou e lançou uma campanha para a adoção dos doguinhos órfãos, como eles são chamados em redes sociais. O total de cães era de 68 quando seus cuidadores morreram, mas 15 já foram adotados.

 NANDO MOTTA 

Criatividarte no Sertão cearense

abril 17, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários

   

Foto: Wandemberg Belém

  Wlisses Cândido tem 21 anos e mora na distrito rural de Santarém, município de Orós, no Ceará. Com o conterrâneo Fagner ainda guarda a semelhança de tocar violão. Só que faz mais: toca violino, saxofone e guitarra. E mais: tem que criativizar. Aprendeu música sozinho e fabricou instrumentos com canos.

    Veja a bela história de Wlisses na reportagem do Diário do Nordeste clicando aqui: Autodidata, jovem agricultor toca quatro instrumentos no sertão do Ceará

Prazo maior para o Funcultura

abril 17, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários

    A Comissão Deliberativa do Funcultura decidiu, em reunião realizada nesta quinta-feira (15), prorrogar por mais 15 dias os prazos de inscrição dos editais do Funcultura 2020-2021: Microprojeto Cultural, Audiovisual, Geral e Música.

  Com a prorrogação, o Microprojeto Cultural segue com inscrições abertas até o dia 30 de abril, enquanto os editais do Audiovisual seguem com o prazo aberto até o dia 10 de maio deste ano. Já o Funcultura Geral estará com inscrições abertas de 19 de abril a 14 de maio, e o de Música de 3 a 28 de maio.

   A decisão da Comissão Deliberativa do Funcultura se deu após o Conselho Estadual de Política Cultural de Pernambuco (CEPC/PE) aprovar, em reunião realizada nesta quarta-feira (14), a ampliação dos prazos de inscrição no Funcultura em função da execução dos projetos aprovados na Lei Aldir Blanc em Pernambuco. Saiba mais: www.cultura.pe.gov.br/canal/leialdirblanc/pernambuco-consegue-no-stf-prorrogacao-do-prazo-para-prestacao-de-contas-dos-recursos-da-lei-aldir-blanc

O MENESTREL DE CARNAÍBA

abril 17, 2021 Por Alexsandro Acioly Sem comentários

 


ANTÔNIO AÇUDINHO, O CEGO CANTADOR

 

Alexsandro Acioly

(Pesquisador e Historiador - CPDOC/PAJEÚ)

 

Imagem Ilustrativa - (Internet)

Que Carnaíba é a terra do saudoso Zé Dantas, parceiro do eterno rei do baião, Luiz Gonzaga, acho que o Brasil e o mundo inteiro sabem disso. Que Carnaíba é considerada a terra da música, mesmo havendo algumas ressalvas, milhares de pessoas sabem. Que Carnaíba tem uma Orquestra Filarmônica Centenária, da qual emanaram músicos maravilhosos, e que ainda hoje, continuam a permear o Sertão do Pajeú com novos talentos, poucos sabem.

Agora, que um dos grandes cantadores que existiu lá pelo final do século XIX na região do Pajeú, era fruto deste celeiro musical, creio que pouquíssimas pessoas saibam.

Estou falando de “Antônio Açudinho”, natural do Pajeú das Flores, mais precisamente da Villa de Carnaíba, ou até mesmo da Fazenda Carnahyba, sendo ainda desconhecida a data do seu nascimento e de sua morte.

Lendo a belíssima obra (trilogia) do moxotoense, Ulysses Lins de Albuquerque, tive o prazer de conhecer um pouco da história desse pajeuzeiro que, segundo o autor, foi um dos maiores cantadores que ele já viu cantar, sendo os seus versos e improvisos perfeitamente admiráveis.

Açudinho, além de analfabeto também era cego, cegueira esta causada pela picada de uma cobra Jararaca. Ulysses Lins frisa muito bem em um dos seus livros a inteligência e a memória gigante que tinha o velho cantador.

No livro, Moxotó Brabo, o segundo dessa trilogia, Ulysses descreve uma das maiores pelejas de Açudinho, fato ocorrido na povoação de Custódia por volta do ano de 1900 entre ele e outro cantador vindo de Caruaru, no agreste pernambucano. Esta cantoria teve a presença do Padre Frutuoso Rolim, da paroquia de Pesqueira, mas que havia ido celebrar a missa em comemoração ao padroeiro da cidade, São José.

Segue abaixo, quatro sextilhas desse desafio entre Açudinho e Ferreirinha:

 

A – Meu colega Ferreirinha,                                                            

       Seja bem-vindo a esta terra,

       Mas me diga se é de paz,

       Ou se tem intenções de guerra,

       Pois eu preciso avisar

       Os meus caboclos da serra.

F – Muito obrigado, Açudinho,

       E consista que o saúde.

       Mas você fala com um homem

       Que a ninguém no mundo ilude;

       Eu venho aqui de bem longe,

       Só conhecer seu açude.

A – Pois assim somo amigos,

       E eu lhe trato com carinho,

       E agora estou satisfeito

       Porque não canto sozinho;

       Porém quanto ao meu açude,

       Não passa de um açudinho.

F – Açudinho isto é modéstia,

      Pois não se pode negar

      Que ele na boca do povo

      Parece um braço de mar;

      Mas com toda essa grandeza,

      Nele eu quero mergulhar.

 

Claro que a peleja não ficou só nisso, provavelmente estendera-se durante toda a noite.

        Açudinho talvez tenha sido um desses menestréis, que foram esquecidos pelos seus contemporâneos, pois pouco se fala nesse velho repentista e cantador de histórias. No livro, Um Certo Jó, de autoria de Alberto da Cunha Melo, este cita uma lista de cantadores onde aparece o nome de Açudinho, mas infelizmente, não há a data de nascimento, morte ou até mesmo a sua naturalidade. O certo é que ele existiu e foi apagado da lembrança de alguns pajeuzeiros e moxotoenses do nosso sertão pernambucano, pois raros são os relatos à respeito desse cantador que encantou o Pajeú e o Moxotó com suas belas pelejas. 
 
Fontes: 
- Albuquerque, Ulysses Lins de, 1889-1979
Um sertanejo e o Sertão/Ulysses Lins de Albuquerque. - 4. ed.  
- Albuquerque, Ulysses Lins de, 1889-1979
Moxotó Brabo/Ulysses Lins de Albuquerque. - 3. ed.
- Albuquerque, Ulysses Lins de, 1889-1979
Três Ribeiras/Ulysses Lins de Albuquerque. - 3. ed.

 

abril 17, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários


 

quinta-feira, 15 de abril de 2021

abril 15, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários


 

É 2014, mas tá novinha

abril 15, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários

Por Luiz Fernando Veríssimo

 
      Tudo que vicia começa com C 

      "Tudo que vicia começa com C. Por alguma razão que ainda desconheço, minha mente foi tomada por uma ideia um tanto sinistra: vícios. Refleti sobre todos os vícios que corrompem a humanidade. Pensei, pensei e, de repente, um insight: tudo que vicia começa com a letra C! De drogas leves a pesadas, bebidas, comidas ou diversões, percebi que todo vício curiosamente iniciava com cê. Inicialmente, lembrei do cigarro que causa mais dependência que muita droga pesada. Cigarro vicia e começa com a letra c. Depois, lembrei das drogas pesadas: cocaína, crack e maconha. Vale lembrar que maconha é apenas o apelido da cannabis sativa que também começa com cê. Entre as bebidas super populares há a cachaça, a cerveja e o café. Os gaúchos até abrem mão do vício matinal do café mas não deixam de tomar seu chimarrão que também - adivinha - começa com a letra c. Refletindo sobre este padrão, cheguei à resposta da questão que por anos atormentou minha vida: por que a Coca-Cola vicia e a Pepsi não? Tendo fórmulas e sabores praticamente idênticos, deveria haver alguma explicação para este fenômeno. Naquele dia, meu insight finalmente revelara a resposta. É que a Coca tem dois cês no nome enquanto a Pepsi não tem nenhum. Impressionante, hein? E o computador e o chocolate? Estes dispensam comentários. Os vícios alimentares conhecemos aos montes, principalmente daqueles alimentos carregados com sal e açúcar. Sal é cloreto de sódio. E o açúcar que vicia é aquele extraído da cana. Algumas músicas também causam dependência. Recentemente, testemunhei a popularização de uma droga musical chamada "créeeeeeu". Ficou todo o mundo viciadinho, principalmente quando o ritmo atingia a velocidade... cinco. Nesta altura, você pode estar pensando: sexo vicia e não começa com a letra C. Pois você está redondamente enganado. Sexo não tem esta qualidade porque denota simplesmente a conformação orgânica que permite distinguir o homem da mulher. O que vicia é o "ato sexual", e este é denominado coito. Pois é. Coincidências ou não, tudo que vicia começa com cê. Mas atenção: nem tudo que começa com cê vicia. Se fosse assim, estaríamos salvos pois a humanidade seria viciada em Cultura..."

Porque era ela, porque era eu

abril 15, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários


Montaigne, Chico Buarque e o Amor que não pede explicações

– por Paulo Setúbal, Revista Prosa Verso e Arte

   O que faz nascer uma amizade imorredoura? O que move uma paixão desmedidamente extraordinária dentro de nossos humanos corações? O que nos leva a gostarmos tão intensamente de uma pessoa, por vezes tão diversa de nós? Ou a nos apaixonarmos perdidamente por alguém e mantermos com esse alguém um relacionamento que, no dizer do Poetinha, enquanto dura infinito é.

   Amigos, parentes, conhecidos e desconhecidos, veem essa relação vivida com olhos de quem assiste a algo em que a lógica se volatiliza e se lhes escapa, algo improvável, indefinível, pleno de estranheza, difícil de ser decodificado, entendido, assimilado. Para desvendar esse mistério, buscando um satisfatório entendimento disso, Chico Buarque – compositor, cantor, dramaturgo e escritor – foi buscar a melhor definição nos ensaios de Michel de Montaigne, o célebre escritor, humanista e filósofo da França. Chico conta em um vídeo que Montaigne, por ser insistentemente questionado sobre o porquê de sua mais que imensa e eterna amizade por outro humanista e filósofo francês, Étienne de La Boétie, cuja morte precoce o levou a escrever o ensaio “Da amizade”, Montaigne disse apenas que gostava dele e ponto. Quinze anos mais tarde, revendo o que escrevera, o escritor acrescentou que gostava do grande amigo “porque era ele”. Outros quinze anos depois fez mais um acréscimo à frase, completando-a definitivamente: “porque era ele, porque era eu”. Chico entendeu como simples porem perfeita a definição dada por Montaigne.

   Achando que ela também era perfeita para definir a paixão, o amor que sentimos por outro alguém, dela se valeu para compor uma música feita para a trilha sonora do filme brasileiro A máquina, do diretor João Falcão. A essência do que definiu Montaigne está no nome da música: “Porque era ela, porque era eu”. Maravilhoso, formidável Montaigne. Maravilhoso, formidável Chico Buarque.

Porque era ela, Porque era eu

Eu não sabia explicar nós dois
Ela mais eu
Porque eu e ela
Não conhecia poemas
Nem muitas palavras belas
Mas ela foi me levando pela mão
Íamos tontos os dois
Assim ao léo
Ríamos, choravamos sem razão
Hoje lembrando-me dela
Me vendo nos olhos dela
Sei que o que tinha de ser se deu
Porque era ela
Porque era eu

Museu do Cangaço - Vendas à distância

abril 15, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários



O Museu do Cangaço (foto), em Serra Talhada, além do mais rico acervo sobre o tema, dispõe de loja de artesanato e livraria. Os produtos podem ser entregues pelos Correios apartir de compras por telefone ou whatsapp.

O serviço, mais do que uma adequação necessária ao mercado e uma adaptação aos tempos de pandemia, é um dos meios de manutenção do espaço. "É mais um ato de resistência. A cultura não pode parar, a memória é imprescindível pra cidadania", destaca Anildomá Willans, idealizador do Museu e um dos autores com títulos à venda.

Os pedidos podem ser feitos pelos números: (87) 3831 3860, 99664 2964, 99916 5897 e 99652 5914. Abaixo, a relação dos livros disponíveis.

A dona de Lampião (Wanessa Campos)

Assim era Lampião e outras histórias (Ângelo Osmiro Barreto)

Assim morreu Lampião (Antonio Nunes)

Bonita Maria do Capitão (Vera Ferreira)

Cangaceiros e Jagunços (Renato L. Bandeira)

Como capturar Lampião (Luis Ruben)

Gente de Lampião - Dadá e Corisco (Antônio Amaury)

Lampião - Segredos e confidências do tempo do cangaço (Antônio Amaury)

Lampião conquista a Bahia (Luis Ruben F. de A. Bonfin)

Lampião e a Maria Fumaça (Luiz Ruben)

Lampião e o Sertão do Pajeú (Anildomá Willans)

Lampião e os governadores (Luiz Ruben)

Lampião e os interventores (Luis Ruben)

Lampião na Bahia (Oleone C. Fontes)

Lampião, a raposa das caatingas (José Bezerra Lima Irmão)

Lampião, as Mulheres e o cangaço (Antônio Amaury)

Lampião, nem herói nem bandido, a História (Anildomá Willans)

Maria Bonita (Antônio Amaury)

Notícias sobre a morte de Lampião (Luiz Ruben F. A. Bonfim)

Sergipe na Guerra de Canudos (Oleone C. Fontes)

Vila Bela - Os Pereiras e outras histórias (Luis Wilson)

quarta-feira, 14 de abril de 2021

abril 14, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários


 

abril 14, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários

 


Terça-feira, 14 de abril de 2021

 JORNAL DO COMMERCIO 

PF em Petrolina

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira (14) uma operação para investigar suspeitos de corrupção, lavagem de dinheiro, fraude em licitação, falsidade ideológica e organização criminosa em contratações realizadas pela Secretaria de Educação de Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Segundo a PF, a apuração inicial aponta irregularidades no fornecimento de kit escolar, entre o final de 2015 e o ano de 2020, com recursos do Fundeb.

 ESTADO DE MINAS 

25% mais compras

A crise econômica agravada com a pandemia do coronavírus trouxe novo panorama de gastos para os brasileiros. Embora tenha reduzido as idas aos supermercados e açougues, os consumidores aumentaram a média de uso de tíquetes de alimentação oferecidos pelas empresas. Levantamentos da Sodexo Benefícios e Incentivos mostrou que os mineiros gastaram 24,81% a mais nesses estabelecimentos entre março e junho do ano passado.

 FALA PE 

Marília Bolsonaro não


Estrela em ascensão na política nacional, a deputada federal Marília Arraes (foto) foi sondada para ocupar a vaga de vice na chapa encabeçada pelo presidente Jair Bolsonaro, em 2022. Depois de pensar um pouco, Marília disse não ao presidente e desautorizou qualquer provável articulação futura nesse sentido. O eventual ingresso da pernambucana na chapa fazia parte de uma estratégia já antiga na política. Com forte presença no Sul e Sudeste, Bolsonaro precisa de inserção no Norte e Nordeste. E, para tal, cogita escolher um político ou uma política da região para ser companheiro ou companheira de chapa.

 

 BLOG DO CARLOS BRITO 

Ministério de olho no minério

O Ministério Público Federal (MPF) em Salgueiro (PE) ajuizou ação de improbidade administrativa, por meio da Operação Frígia, contra três envolvidos na extração ilegal de minérios no sertão pernambucano – dois deles também são alvos de denúncia oferecida pelo MPF. Essas atividades são realizadas na zona rural dos municípios de Verdejante e Serrita. As apurações indicaram que os investigados realizam desde a extração da pedra bruta in natura até a venda do produto a receptadores no Recife (PE) e em Juazeiro do Norte (CE). Os alvos da ação de improbidade são o escrivão da PF, Marcos Henrique Menezes Pessanha, apontado como responsável pelo vazamento de informações e por reuniões com outros integrantes do esquema; o policial militar João Genival de Sá, que, segundo o MPF, figura como um dos líderes da organização; bem como o empresário Mauro José Marroquim Santana, apontado como comprador do minério ilegalmente extraído.

AFOGADOS FM

De mãe para pai

Na última semana, o Brasil se estarreceu com os desdobramentos da morte do menino Henry Borel, de quatro anos, suspeito de ter sido torturado e morto pelo padrasto, Dr. Jairinho, enquanto a mãe, a professora Monique Medeiros, seria conivente com os abusos. Ambos ainda estão sendo investigados pela polícia. Há 13 anos, infelizmente, um outro caso envolvendo a morte de outra criança apresentou, também, um desfecho macabro: o da pequena Isabella Nardoni.  Em uma demonstração de empatia, a mãe da vítima do homicídio que aconteceu em 2008, a administradora Ana Carolina Oliveira, de 37 anos, redigiu uma carta aberta para o pai de Henry, o engenheiro Leniel Borel. “A morte brutal, os desdobramentos das investigações e a comoção causada na população são muito parecidos e doloridos”, diz o texto.

 PE NOTÍCIAS 

Futebol com público em Afogados

Chegou ao Blog PE Notícias a informação de que Afogados da Ingazeira pode ser a primeira cidade no Brasil a ter jogos no estádio Vianão com a presença de público na pandemia. Procurado pelo blog, o prefeito Alessandro Palmeira (foto) não só confirmou, como adiantou que “com a FPF estava tudo acordado, e o presidente Evandro Carvalho teria ido a Presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em Brasília, comunicar que Afogados da Ingazeira seria a primeira cidade no Brasil a ter implantado o Passaporte Imunológico Digital na pandemia”.

 BLOG DO DÁRCIO RABELO 

Temporal em Arcoverde

Arcoverde teve uma tarde de ruas alagadas nesta quarta-feira (14) por causa da chuva forte que atingiu o município. O temporal, que durou cerca de uma hora, foi suficiente para causar transtornos, deixando ruas, lojas e casas alagadas e telhados destruídos.

BLOG DO ALYSON NASCIMENTO

Alerta de chuvas

A previsão do meteorologista da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), Roni Guedes, é de que, nos próximos dias, Agreste e Sertão registrem chuvas ainda mais intensas do que as do começo desta semana. A ‘quadra chuvosa’ é concentrada nos meses de abril, maio, junho e julho. São os quatro meses que mais chovem na região. O início do mês de março foi um pouco seco mas, no fim do mês, começaram a ser registradas algumas pancadas de chuva.”

 GAZETA ZERO HORA 

terça-feira, 13 de abril de 2021

Alexandre Morais - Crônicas em Retalhos

abril 13, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários
Arte: Edgley Brito

Bento

    - Esse aí pode ter sido benzido, mas bento não é.

   Ele cresceu ouvindo isto da avó. Logo dela, que foi quem escolheu o nome do menino, em honra ao livro que o santo tem nas mãos e da fama de ser o protetor da paz nas famílias. Qual o quê! Bento apegou-se foi à taça do santo. Pegou-se cedo com taças e copos e tulipas e canecos e quaisquer outros que o ajudasse a levar uma brejeira pro bucho. Ainda sem bigode firmou essa parceria.

  Mas não que o mal viesse daí. Antes mesmo das inspirações etílicas, Bento já tinha tendências malinas.

   Tinha fissura por maltratar animais. Matou muitos. Inclusive gatos. Só pra provar que não dava sete anos de azar, como ele dizia sobre o que diz esta crença popular. E se diziam que era pecado matar Lavandeiras, eram estas os alvos da baladeira de Bento. Ouviu uma só vez que outro troço azarento era quebrar espelho. Passou a quebrar todos que via. De espelho foi às janelas. E daí vieram os mais próximos contatos com as escolas. Gargalhava com a boa pontaria.  

   E mais. Bento deu-se a outras práticas e consumos ilegais. Andou fugido e parou em celas. Não se queixava de nada, mas foi o rei das queixas policiais. Chegou o tempo até de ser acusado pelo que não fazia. Se não se sabia quem fez o mal feito, por certo tinha sido Bento. 

   E assim foi até certo dia. Se de menino a homem feito caminhou por fora, naquele certo dia resolveu entrar na ordem. E numa ordem. Uma ordem religiosa. Aí sim tem um livro nas mãos. E professa a paz nas famílias. Como dito, sem estudo, a bíblia ele não ler. Mas a carrega com a mesma habitualidade que veste terno e usa gravata.

   Só que tudo que escuta, Bento decora. Nisto ele é bom. Logo foi de fiel a líder da ordem. Grande orador. Grande conselheiro. Grande administrador. Ganhou um bocado de grandezas na boca dos ladeados.

    Mas na boca do povo... ah essa aí continua repetindo o que dizia a vó do convertido.

Pra relembrar - Mestre Ambrósio

abril 13, 2021 Por Alexandre Morais Sem comentários


A Mestre Ambrósio banda foi uma pernambucana criada em 1992 e descriada em 2004.

O Mestre Ambrósio pessoa foi um pernambucano Mestre de Cavalo Marinho.