quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Lameira de caminhão

fevereiro 13, 2019 Por Alexandre Morais Sem comentários


 70 me passar, passe 100 atrapalhar

* * *

Não buzine, levante mais cedo

* * *

Cão que ladra também morde. Cachorro não conhece ditado

* * *

Eu sou U 1000 D

* * *

Macho que é macho não chupa mel, masca abelha

* * *

O português inventou o termômetro a cores para ver a febre amarela

* * *

Sou do tempo que fazer sexo era seguro e viajar de avião era perigoso

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

O buraco da saída

fevereiro 11, 2019 Por Alexandre Morais Sem comentários

    Não me lembro de ter flertado, alguma vez, com o avesso da sorte. Sempre fui acariciado pelas emoções, mesmo quando estou distante delas.
   Às vezes, entro em off, para sair ileso de algum momento.  Às vezes, me posto à mesa, apenas para pedir a Deus que me dê saúde pra correr atrás do pão de cada dia. Às vezes, esqueço que nada é para sempre, me jogo nos labirintos das emoções, e depois dá um trabalho da moléstia pra achar o buraco da saída.
   Não me lembro de ter sido invisível em momento algum; sempre fui o reflexo de algum espelho.
   Nesse exato momento, é o espelho do céu que reflete na rede de minha varanda. Estou esparramado, servindo de isca para o anzol da solidão, que eu mesmo amarrei na linha. Destravei a carretilha do molinete e aqui estou, só esperando a hora de fisgar um pouco de alegria.
   O tempo está nublado, melancólico e frio. Tá bom pra tomar umas e jogar conversa fora.
    Quer saber de uma coisa? É isso que vou fazer.
    Bora?


                                                      < Maciel Melo >

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

O Homem da Meia-Noite

janeiro 29, 2019 Por Alexsandro Acioly Sem comentários
Imagem: Divulgação


Aos 87 anos, Homem da Meia-Noite sobe o Morro da Conceição


   Pela primeira vez, o Homem da Meia-Noite vai comemorar o seu aniversário no Recife. No dia 2 de fevereiro, o bloco, que é Patrimônio Vivo de Pernambuco, vai subir o Morro da Conceição para cantar parabéns pelos seus 87 anos e provar que tem muito fôlego. A concentração começará às 16h, no Largo Dom Luiz, em Casa Amarela, onde ficará até às 17h, quando o cortejo será puxado pela orquestra de Lucas dos Prazeres.
   O músico é um dos homenageados do bloco neste ano ao lado de Lia de Itamaracá e o grupo Patusco, que também estarão presentes na comemoração. O cortejo também será acompanhado pela orquestra do Maestro Carlos, pelas quadrilhas do Morro da Conceição, pela Galeria do Ritmo e pelos passistas da Cia Brasil por Dança, entre outros. Ao chegar no topo, a banda do CERVAC, composta por crianças com deficiência, cantará os parabéns. Nesse momento, o calunga receberá o seu figurino de 2019, que foi elaborado por três estilistas dos morros de Olinda, sendo elas Rafaela Mendes, Maria Alice e Jéssica Alves.
   A escolha do Morro da Conceição para a festa tem ligação como tema “A voz do morro”, que guia o bloco neste ano. “O Homem tem uma relação muito forte com a religiosidade, porque ele nasceu no dia de Iemanjá e por ser o homem do Carnaval. Pensamos que o Morro da Conceição era o lugar ideal para representar a fé que precisamos para reagir a esses tempos difíceis”, observa o presidente do clube, Luís Adolfo, ao adiantar que o evento também contar com a Som na Rural no alto do Morro. Vários shows surpresas devem acontecer, já que muitos artistas, como o Maestro Forró e André Rio, também confirmaram presença no evento.


Foto Divulgação: Ricardo Moura




   O carnavalesco destaca que o tema não faz alusão a nenhum morro específico, mas usa o termo como símbolo do povo. “Acho que o Homem, mais uma vez, mostra sua força e compromisso com a cidade e com as pessoas. Esse projeto representa o que desejamos: que as pessoas escutem mais umas as outras e que a força do povo esteja acima de tudo. Nesse momento, teria que ser isso, porque o Homem tem uma grande ligação com o povo e não poderia deixar de lado sua essência”, completa o presidente.
   O projeto “A voz do morro”, que celebra os 87 anos do Homem da Meia-Noite, envolveu também a instalação de seis esculturas inspiradas no bloco em pontos estratégicos do Recife e de Olinda. A última delas, de autoria do artista Silvio Botelho, foi inaugurada na quinta-feira (24), na Praça do Carmo, em Olinda. As demais são de Dido Pereira, no Alto da Sé (Olinda); do grupo Bongar, na Comunidade de Xambá (Recife); de Sérgio Vila Nova, em frente a sede do Homem da Meia-Noite (Olinda); de Thiago Amorim, no Alto da Mina (Olinda); e de João Andrade, em frente a prefeitura de Olinda. Essa última foi a que abriu o circuito, no dia 20 de novembro, mesmo data em que se celebra o Dia da Consciência Negra.
SERVIÇO
Comemoração dos 87 anos do Homem da Meia-Noite
Quando: 2 de fevereiro, a partir das 16h
Onde: Concentração no Largo Dom Luiz, em Casa Amarela
Gratuito
Fonte: http://www.cultura.pe.gov.br  - Por: Camila Stephania

janeiro 29, 2019 Por Alexsandro Acioly Sem comentários
Imagem: Divulgação

janeiro 29, 2019 Por Alexsandro Acioly Sem comentários
Imagem: Divulgação

janeiro 29, 2019 Por Alexsandro Acioly Sem comentários

Imagem: Divulgação

sábado, 19 de janeiro de 2019

4º Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia

janeiro 19, 2019 Por Alexandre Morais Sem comentários


Jan Ribeiro/Secult-PE
Foto: Jan Ribeiro/Secult-PE
   Estão abertas as inscrições para o 4º Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia, iniciativa do Governo de Pernambuco sob coordenação da Fundarpe. O objetivo é reconhecer, valorizar e incentivar práticas de transmissão de saberes e fazeres da Cultura Popular, bem como da dramaturgia, por meio do estímulo à escrita dramática e revelação de novos dramaturgos.
   O período de inscrições vai de 18 de janeiro a 28 de fevereiro de 2018. Não há custos.
   
Veja todos os detalhes em www.cultura.pe.gov.br

Veja Margarida - Vital Farias

janeiro 19, 2019 Por Alexandre Morais Sem comentários
Veja você, arco-íris já mudou de cor
Uma rosa nunca mais desabrochou
E eu não quero ver você com este gosto de sabão na boca
Arco-íris já mudou de cor
Uma rosa nunca mais desabrochou
E eu não quero ver você... eu não quero ver...
Veja meu bem, gasolina vai subir de preço
Eu não quero nunca mais seu endereço
Ou é o começo do fim ou é o fim...
Eu vou partir pra cidade garantida, proibida
Arranjar meio de vida Margarida
Pra você gostar de mim
E essas feridas da vida Margarida
Essas feridas da amarga vida
Pra você gostar...
Veja você, arco-íris já mudou de cor
Uma rosa nunca mais desabrochou
E eu não quero ver você com este gosto de sabão na boca
Arco-íris já mudou de cor
Uma rosa nunca mais desabrochou
E eu não quero ver você... eu não quero ver...
Veja meu bem, gasolina vai subir de preço
Eu não quero nunca mais seu endereço
Ou é o começo do fim ou é o fim...
Eu vou partir pra cidade garantida, proibida
Arranjar meio de vida Margarida
Pra você gostar de mim
E essas feridas da vida Margarida
Essas feridas da amarga vida
Pra você gostar de mim...

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Sétima Arte

janeiro 17, 2019 Por Alexsandro Acioly Sem comentários
Imagem: Internet

Recife e Caruaru Sediam Aulas do Curso de Finalização Para Cinema


   Mesmo sendo uma fase decisiva para o resultado final de um filme, a pós-produção ainda é um assunto pouco debatido por quem faz a sétima arte. Para provocar o interesse de novos profissionais e desvendar os processos técnicos da fase de finalização de curtas e longas-metragens, a Gatopardo Filmes realiza o MASTER – Curso de Finalização para Cinema, com incentivo do Funcultura. Serão duas oportunidades gratuitas de participar das aulas: no Recife, de 4 a 9 de fevereiro, no Porto Mídia; e em Caruaru, de 11 a 16 do mesmo mês, no Armazém da Criatividade.
   O campo de atuação profissional durante a fase de pós-produção é extenso, pois engloba uma série de áreas como montagem, efeitos visuais, correção de cor e mixagem de som. “A intenção é, de maneira didática e com muitos exemplos, aproximar esses conhecimentos dos profissionais e capacitá-los para atuarem na área ou seguirem se especializando em etapas específicas como a correção de cor e a mixagem de som”, explica Matheus Farias, coordenador pedagógico e um dos facilitadores do curso.
   O Master é dividido em dois módulos (imagem e som) e voltado para quem está realizando seus próprios filmes e enfrenta os desafios da finalização, para profissionais iniciantes e estudantes da área de cinema. Neste sentido, as aulas propõem uma imersão de seis dias no fluxo de trabalho durante a fase de finalização, desde a chegada dos arquivos brutos de um filme na ilha de edição até a masterização do arquivo final.
   Com larga experiência em montagem e finalização, Matheus Farias será o responsável pelo módulo I, enquanto o módulo II ficará a cargo de Nicolau Domingues, técnico e editor de som e trilhas sonoras. Completando a vivência, Eduardo Serrano, mestre em montagem, falará sobre sua experiência como montador e finalizador de inúmeros e importantes longas e curtas em uma masterclass, que acontece no dia 18 de fevereiro, no auditório Porto Mídia, das 19h às 21h.
Elimar Caranguejo/Secult PE
   De acordo com Farias, é a primeira vez que as duas cidades pernambucanas recebem um curso tão completo e abrangendo todas as etapas da pós-produção de um filme. “Normalmente os cursos são voltados apenas para uma ou duas etapas da finalização, como a montagem, ou a edição de som. Neste, queremos traçar o caminho que os arquivos de um filme realizam logo após serem gravados até a fase de exibição, ou seja, quando o filme é de fato lançado”, completa.
   Apesar das atividades serem abertas ao público e gratuitas, é necessário se inscrever previamente por meio de um formulário no site do evento. Os selecionados serão anunciados até o próximo dia 30 de janeiro. Para as aulas, serão destinadas 20 vagas em cada cidade. Já a masterclass, com capacidade para 80 pessoas, será realizada apenas no Recife e custará R$10 para quem não for aluno do curso, pois é uma atividade complementar.

Serviço:

MASTER – Curso de Finalização para Cinema

Recife – de 4 a 09 de fevereiro | Segunda a sexta, das 14h às 18h | Sábado (9.02), das 9h às 13h
Masterclass:  dia 18 de fevereiro, das 19h às 21h
Apolo 235/ Porto Mídia (Rua do Apolo, 235, Recife)
Caruaru – de 11 a 16 de fevereiro | Segunda a sexta, das 14h às 18h | Sábado (16.02), das 9h às 13h
Armazém da Criatividade (BR 104, Km 62 – Nova Caruaru – Caruaru)
Inscrições pelo site: https://www.masterfinalizacao.com/


Sobre o MASTER – Curso de Finalização para Cinema
Módulo I – a imagem

A proposta desse módulo é esmiuçar algumas das etapas pelas quais os arquivos percorrem durante a finalização de um filme: da captura à montagem, do armazenamento, organização e preparação das mídias à correção de cor e efeitos visuais, a masterização e a exibição. Visa desvendar todos os passos da pós-produção, de forma a criar sistemas e fluxos de trabalho que garantam o controle da qualidade técnica de uma produção cinematográfica.

Módulo II – o som

Tem como objetivo explorar de maneira abrangente todas as etapas envolvidas na pós-produção de som de um filme desde o recebimento dos arquivos, a preparação para a edição, a mixagem e a entrega do material para exibição. Com o auxílio de plataformas como o software Pro Tools será possível aliar teoria e prática exercitando a preparação de sessões para edição, mixagem e técnicas variadas de sound design, assim como todas as demais etapas envolvidas no processo de pós-produção de som como a composição de trilhas sonoras, foley e dublagem. As aulas incluem teoria e prática, com utilização de softwares profissionais utilizados no mercado, como Final Cut, Pro Tools, DaVinci Resolve, que serão utilizados em exercícios práticos com trechos de filmes.

MASTERCLASS
Com participação aberta ao público, a masterclass convida Eduardo Serrano para apresentar sua experiência na pós-produção filmes nacionais e estrangeiros, inclusive co-produções com diversos países. Essa atividade complementar tem como propósito mostrar na prática como funciona o mercado de pós-produção no Brasil e quais são as possibilidades de carreira na área, além de discussão de diversos exemplos reais de fluxos de trabalho utilizados em filmes como Boi Neon, Divino Amor, Aquarius e Bacurau.
SOBRE OS FACILITADORES
Matheus Farias (módulo I – a imagem)

Graduado em Rádio, TV e Internet e pós-graduado em Estudos Cinematográficos, Matheus Farias trabalha desde 2011 com montagem de longas e curtas-metragens, séries de TV, trailers e spots para filmes brasileiros, colaborando frequentemente com distribuidoras como a Paris Filmes, Vitrine Filmes e Imovision. É sócio da Gatopardo Filmes, onde dirigiu, roteirizou e montou os curtas Quarto para Alugar (2016) e Caranguejo Rei (2019). Atualmente, está em fase de montagem dos longas O Filme Já Começa na Calçada (Kleber Mendonça Filho) e O Ateliê da Rua do Brum (Juliano Dornelles).

Nicolau Domingues (módulo II – o som)

Trabalha, desde 2009, com captação, edição e desenho de som, produção de trilhas sonoras originais e mixagem de filmes. Com mais de 50 projetos no currículo, entre curtas e longas-metragens, Nicolau é hoje um dos principais profissionais do mercado cinematográfico de Pernambuco quando se trata de som. Na lista de projetos recentes estão os curtas Terremoto Santo (Bárbara Wagner e Benjamin de Burca) e O Porteiro do Dia(Fábio Leal), e os longas Camocim (Quentin Delaroche) e Estou me guardando para quando o carnaval chegar (Marcelo Gomes).

Eduardo Serrano (masterclass)

Mestre em montagem pela National Film School (NFTS)/Royal College of Art na Inglaterra, tem no currículo uma extensa lista de curtas e longas-metragens premiados em festivais ao redor do mundo. Destacam-se os longas Doméstica, Ventos de Agosto, Boi Neon e Divino Amor (Gabriel Mascaro), Eles Voltam e Paterno (Marcelo Lordello), Aquarius e Bacurau (Kleber Mendonça Filho), sendo o segundo em co-direção com Juliano Dornelles, e os curtas Guaxuma (Nara Normande) e Terremoto Santo (Bárbara Wagner e Benjamin de Burca).

Fonte: http://www.cultura.pe.gov.br

janeiro 17, 2019 Por Alexsandro Acioly Sem comentários
Imagem: Divulgação

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

janeiro 14, 2019 Por Alexsandro Acioly Sem comentários
Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação


Vidas Secas - CAIXA Cultural Recife

janeiro 14, 2019 Por Alexsandro Acioly Sem comentários
Foto: Divulgação - Vidas Secas/Tamyris Zago

       
Imagens impactantes, de extraordinária beleza, transmitem a angústia e a esperança sertanejas, que transcendem o regionalismo geográfico e a temporalidade das épocas. Assim é o espetáculo Vidas Secas, da companhia ítalo-brasileira Caravan Maschera, que a CAIXA Cultural Recife recebe, em curta temporada de 17 a 26 de janeiro.
  Pela primeira vez na capital pernambucana, a dupla formada pela italiana Giorgia Goldoni e Leonardo Garcia Gonçalves criou uma adaptação do clássico de Graciliano Ramos com bonecos, máscaras e sem palavras, na qual o foco é o diálogo entre a memória cultural do público e os sentimentos provocados pela encenação.  Em Vidas Secas, oito bonecos criados pela dupla recontam a saga de família de retirantes sertanejos obrigada a se deslocar, de tempos em tempos, para áreas menos castigadas pela seca. As marionetes foram inspiradas em pinturas de Candido Portinari e fotografias de Sebastião Salgado. 
   “Sabíamos desde o início que o discurso literal e textual não seria suficiente para fazer com que o público contemporâneo se emocionasse e fosse afetado pelo texto. Suprimir a palavra é essencial para dar espaço ao público como parte (re)criadora  do texto e do contexto da obra”, avalia Leonardo Garcia. “Sem as palavras concretas ditas em cena,  por meio de bonecos e máscaras, dá-se ao público a liberdade de imaginar e de se projetar sobre os personagens e suas situações vividas no decorrer da trama”, completa o ator.
   Em apresentações recentes na França, Itália, Suíça e Eslovênia, espectadores estabeleceram uma conexão imediata do espetáculo com os refugiados da Síria. “Aquela família de retirantes ainda não é, infelizmente, uma imagem anacrônica. Sobretudo a questão da incomunicabilidade e da situação de extrema repressão psicológica, física e emocional exercida não por uma pessoa, mas por um contexto social, econômico e racial que ultrapassa as fronteiras do sertão nordestino do Brasil.  Por isso, e infelizmente, a identificação com a Guerra Civil na Síria é também bem pertinente”, conclui Leonardo. 
   O grupo, que chega ao Recife após participar de importantes festivais europeus, também oferece um workshop gratuito sobre teatro de bonecos com inscrições abertas aos artistas interessados.


Serviço

Espetáculo Vidas Secas
Local: CAIXA Cultural Recife – Av. Alfredo Lisboa, 505, Bairro do Recife, Recife/PE
Datas: 17 a 26 de janeiro de 2019 (quinta-feira a sábado)
Horário: quinta e sexta-feira, 20h, e aos sábados 18h e 20h
Informações: (81) 3425-1915 
Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia para estudantes, professores, pessoas acima de 60 anos e clientes CAIXA)
Bilheteria: a partir das 10h do dia 16/01 (quarta-feira) para as apresentações de 17 a 19/01; e do dia 23/01 (quarta-feira) para as apresentações de 24 a 26/01.
Duração: 65 minutos
Classificação indicativa: 14 anos
Capacidade: 80 lugares
Gênero: Teatro de formas animadas
Trailer do espetáculo: https://youtu.be/h-KRkrwVom8
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: CAIXA e Governo Federal

Oficina: Teatro de bonecos
Data: 18 e 19 de janeiro de 2019 (sexta e sábado)
Local: Sala de Oficina da CAIXA Cultural Recife – Av. Alfredo Lisboa, 505, Bairro do Recife, Recife/PE
Informações: (81) 3425-1915 
Horário: sexta (18), das 13h às 17h; sábado (19), das 9h às 13h
Carga Horária: 8h
Ministrantes: Giorgia Goldoni e Leonardo Garcia  
Vagas: 12
Classificação indicativa: 16 anos
Critério de seleção: currículo e carta de motivação. Enviar Carta de motivação (1 lauda) e currículo resumido (1 lauda) para caravanmaschera@gmail.com 
Período de Inscrição:  até 16 de janeiro de 2019
Os selecionados serão informados através de e-mail até o dia 17 de janeiro. 


Fonte: http://agendaculturaldorecife.blogspot.com