Coronel, coronéis

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

"Quem não quiser saber das coisas, mate os velhos".
Dito do Coronel Veremundo Soares, transcrito no livro Coronel, coronéis: apogeu e declínio do coronelismo no Nordeste, de Marcos Vinicios Vilaça (ele mesmo, o ex-presidente do Tribunal de Contas da União e da Academia Brasileira de Letras) e Roberto Cavalcanti de Albuquerque. O livro aborda o tema à luz dos perfis de 04 coronéis pernambucanos: Chico Romão, de Serrita, Zé Abílio, de Bom Conselho, Chico Heráclio, de Limoeiro, e Veremundo Soares, de Salgueiro. O perfil de Veremundo foge ao tradicional. Para além da figura do dominador econômico, social e político da época, prestava-se como médico popular formado em livros de botânica aplicada à medicina, como músico clarinetista e até como parteiro. Acima, imagem da capa do livro. Pode facilitar a procura para quem por ele se interessar.

0 comentários:

Postar um comentário

 
 
 
 
Template modificado por WMF-Mídia Design | (87) 9918-2640 / 9620-2552