Costume

quarta-feira, 18 de maio de 2011



               Quando vi os teus olhos encharcados
               E o meu nome maldito entre teus lábios,
               Percebi quanto vãs e quão insábios
               Fomos nós, imprudentes namorados.

               Resta agora esquecer nossos passados,
               Rasgar fotos, queimar os alfarrábios
               E seguir o que ensinam grandes sábios:
               Nunca mais mal viver apaixonados.

              Um ao outro deixamos quase nada,
              Mas sozinhos a carga é tão pesada
              Que é difícil encontrar quem a arrume.

              Professores já somos no errar,
              Mas bem pouco sabemos sobre amar...
              Pouco além de que amor não é costume.

                                           Alexandre Morais - Maio/2011

1 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pelo bom gosto do seu blog, com certeza vou acompanhar e indicar para os amigos, poesias de ótima qualidade.

Eu não sou poetiza mais vou deixar este comentário.

Ah poesia
Alma do ser humano
Que as vezes no desengano
Se apega aos sentimentos
E com os ensinamentos
Que a vida lhes oferece
A nossa alma agradece
A criação do poeta
Que parece até profeta
Com a sua profecia

Postar um comentário

 
 
 
 
Template modificado por WMF-Mídia Design | (87) 9918-2640 / 9620-2552