O melhor da vida é a amizade

domingo, 22 de maio de 2011

Uma reflexão de Aristeu Bezerra
 

     O amor nos faz sofrer mais cedo ou mais tarde. O início de uma relação amorosa tudo são flores. Não há espinhos, visíveis.
     É um tratamento muito afetuoso um diz:
     - Meu bem pra cá, meu bem pra lá. 
    O outro por sua vez não fica menos sentimental: 
     - Diga, meu anjinho!
     E o tempo vai passando e o que era doce já não tem tanto açúcar porque se esquece de regar a planta do bom relacionamento com a atenção devida.
     É complicado o viver bem a dois, enquanto a amizade é bem mais simples. Nela não há cobrança, há doação. Ser amigo não se exige exclusividade, ou seja, você é meu amigo e de mais ninguém! Todo ser humano pode ter o número de amigos que for capaz de conquistar.
     Nós podemos desabafar com o nosso amigo(a) e não devemos fazer  com outro relacionamento porque poderemos magoar ou ser magoados. Enquanto o amigo não nos incrimina, mostra-nos a nossa imaturidade, nos entende (embora possa não concordar), nos eleva a auto-estima.
     Nós ficamos mais velhos e adquirimos conhecimento e sabedoria ou pseudo-sabedoria conforme as experiências que extrairmos ou não dos acontecimentos vividos.
        A chama do amor não pode arder ininterruptamente por toda uma vida. Então, a sabedoria manda transformar o amor em amizade. Chegamos, afinal, a uma conclusão: o melhor da vida é amizade.
 

0 comentários:

Postar um comentário

 
 
 
 
Template modificado por WMF-Mídia Design | (87) 9918-2640 / 9620-2552