Poetas do Pajeú derramam poesia na terra do maracatu

quinta-feira, 29 de março de 2012

Pela primeira vez, a tradicional mesa de glosa do Sertão do Pajeú reuniu poetas da região em Nazaré da Mata e emocionou público do Festival Pernambuco Nação Cultural

"Trouxe umbu do pomar
de João Paraibano
pra Mestre Salustiano

saber do gosto de lá.
Vim pra plateia escutar

o canto do Pajeú
para que Mestre Salu

nos faça aqui companhia,
vim derramar poesia

no chão dos maracatus"
(Caio Menezes)



Como quem se esforça pra fazer bonito em casa alheia, como quem entra pedindo licença pra contar um pouco da história de seu lugar, o grupo de poetas do Sertão do Pajeú que visitou Nazaré da Mata nesta terça-feira, fez da Mesa de Glosas uma das ações mais emocionantes do Festival Pernambuco Nação Cultural até aqui.

De improviso e sob os olhares atentos do público que lotou o auditório da Universidade de Pernambuco, Alexandre Morais, Genildo Azevedo, Caio Menezes, George Alves, Zé Adalberto, Dudu Morais e Adiel Luna encheram o lugar com um tipo de beleza rara, aquela que a gente sente quando vê assim, bem de perto, o processo criativo de um artista popular.

Mais que um mediador da bela disputa, ou peleja da palavra, o também poeta Dedé Monteiro tratou logo de explicar como funcionaria a Mesa de Glosas: "A gente apresenta um mote aos participantes da mesa, na verdade são dois versos que cada poeta tem que incluir em sua estrofe rimada e feita de improviso". Informações úteis para Ana Rosa, que como muitos ali, nunca haviam assistido a uma "luta pela poesia" naquele formato, como definiu a estudante de Letras.

Com tradicionais elementos do imaginário sertanejo ou que ressaltavam a riqueza da cultura pernambucana, os motes foram surgindo. Entre eles, versos que lembraram o legado para a poesia popular deixado por João Batista de Siqueira, o poeta Cancão, de São José do Egito. "Uma das nossas motivações para realizarmos este momento aqui em Nazaré da Mata foi também levar a todas as regiões o nome e a poesia deste importante poeta que, se estivesse vivo, faria cem anos em 2012", comentou Wellington de Melo, coordenador de Literatura da Secretaria de Cultura do Estado. Na ocasião, Wellington anunciou um calendário de outras ações em homenagem ao "pássaro-poeta", como a Aula Recitativa sobre a obra de Cancão que acontece na próxima sexta (30/03), às 15h, também na UPE de Nazaré da Mata.

0 comentários:

Postar um comentário

 
 
 
 
Template modificado por WMF-Mídia Design | (87) 9918-2640 / 9620-2552