E pra missa de João Paraibano, eu fiz:

quinta-feira, 11 de setembro de 2014



       Trono sem rei

João da Luz fez do pinho uma caneta
Que não teve no tempo de escola.
Escreveu o que quis com a viola,
Reluzente e ligeiro qual cometa.

Precisando, a usou como escopeta,
Atacando a miséria que assola,
Defendendo a poesia que consola,
Decantando o palácio e a sarjeta.

Com o pinho, fez cedo o seu enlace,
E com ele no peito e sob a face,
Implorou por Jesus e pela lei.

Mas agora, sem João, na orfandade,
Dorme o pinho no trono da saudade
E o sertão chora a falta do seu rei.

< Alexandre Morais, 09/09/14 >

0 comentários:

Postar um comentário

 
 
 
 
Template modificado por WMF-Mídia Design | (87) 9918-2640 / 9620-2552