sexta-feira, 31 de maio de 2013

 amar
Amar!

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar! Amar! E não amar ninguém!


Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!


Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!


E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...
 
< Florbela Espanca >


Imagem extraída de http://pontocultural.wordpress.com/category/show/

 
                           Saudade, igualmente ao tempo, 
                           Não se deixa dominar... 
                           É a lágrima da alma
                           Num constante derramar...
                           Que só para de verdade 
                           Quando o coração parar.

                              < Alexandre Morais > 


Imagem extraída de http://claudiafagundes2011.blogspot.com.br 


 

Um poema de Bruno Gaudêncio

quinta-feira, 30 de maio de 2013

 

PONTE

não procure apenas
um sentido
na palavra ponte

:ela parte
extremos terrenos
e significados,

ligando/
separando
o rio do homem na memória

em sua atitude
humilde de signo
(de pedra,
madeira
ou corda)

não importa!
se frágil ou forte
ela juntafasta
os seres e objetos
para os céus antigos
do poente, -
na significância
do existir nos passos.

*

A ponte é a porta do destino.


< Imagem extraída de: http://carlitolimablog.blogspot.com.br >

Dez motivos pelos quais você deveria ler todos os dias

quarta-feira, 29 de maio de 2013

    Uma das práticas que os jovens consideram mais entediantes é a leitura. Não é raro ouvir reclamações sobre a obrigatoriedade da leitura, mesmo que algumas histórias surpreendam por atrair o interesse. Contudo, estabelecer o hábito da leitura pode trazer diversos benefícios para a vida, tanto no mundo acadêmico quanto na carreira. Confira a seguir 10 motivos pelos quais você deveria ler todos os dias:
 
1. Estímulo mental > O cérebro necessita treinamento para se manter forte e saudável e a leitura é uma ótima maneira de estimular a mente e mantê-la ativa. Além disso, estudos mostram que os estímulos mentais desaceleram o progresso de doenças como demência e Alzheimer.


2. Redução do estresse > Quando você se insere em uma nova história diferente da sua, os níveis de estresse que você viveu no dia são diminuídos radicalmente. Uma história bem escrita pode transportá-lo para uma nova realidade, o que vai distraí-lo dos problemas do momento.

3. Aumento do conhecimento > Tudo o que você lê é enviado para o seu cérebro com uma etiqueta de “novas informações”. Mesmo que elas não pareçam tão essenciais para você agora, em algum momento elas podem ajudá-lo, como em uma entrevista de emprego ou mesmo durante um debate em sala de aula.

4. Expansão de vocabulário > A leitura expõe você a novas palavras que inevitavelmente elas serão incluídas no seu vocabulário. Conhecer um número grande de palavras é importante porque permite que você seja mais articulado em seus discursos, de maneira que até mesmo a sua confiança será impulsionada.

5. Desenvolvimento da memória
> Quando você lê um livro (especialmente os grandes) precisa se lembrar de todos os personagens, seus pontos de vista, o contexto em que cada um está inserido e todos os desvios que a história sofreu. A boa notícia é que você pode utilizar isso a seu favor, fazendo dos livros um treino para a sua memória. Guardar essa quantidade de informações faz com que você esteja mais apto para se lembrar de eventos cotidianos.

6. Habilidade de pensamento crítico > Já leu um livro que prometia um mistério confuso e acabou por desvendá-lo antes mesmo do meio da história? Isso mostra a sua agilidade de pensamento e suas habilidades de pensamento crítico. Esse tipo de talento também é desenvolvido por meio da leitura. Portanto, quanto mais você lê, mais aumenta sua habilidade de estabelecer conexões.

7. Aumento de foco e concentração >
O mundo agitado de hoje faz com que sua atenção seja dividida em várias partes, de modo que manter-se concentrado em apenas uma tarefa torna-se um desafio. Contudo, livros com histórias envolventes são capazes de desligar você do mundo ao redor, fazendo com que sua atenção esteja inteiramente voltada para o que acontece na trama. Embora você não perceba, esse tipo de exercício ajuda você a se concentrar em outras ocasiões, como quando precisa finalizar um projeto urgente.

8. Habilidades de escrita
> Esse tipo de habilidade anda lado a lado com a expansão do seu vocabulário. Assim como a leitura permite a você ser alguém mais articulado na fala, também vai ajuda-lo a colocar com mais clareza os seus pensamentos no papel. Isso vai dar a você a chance de produzir textos com mais qualidade, não apenas de vocabulário, como também correção gramatical e ideias mais ricas.

9. Tranquilidade
> O fato de envolver você em uma história e livrá-lo do estresse cotidiano faz do livro uma ótima ferramenta para alcançar a paz interior. Nos momentos de estresse, procure se distrair do que acontece com uma história que atrai seu interesse. Isso vai acalmá-lo e ajudá-lo a melhorar seu humor.

10. Entretenimento a baixo custo > Muitas pessoas acreditam que o conceito de diversão está diretamente ligado aos altos custos de uma viagem ou mesmo de uma festa. Contudo, se você encontrar um livro que chame a sua atenção, poderá viajar sem sair da sua casa.


Copiei de http://www.brasilquele.com.br

De como foi o FIP. É, foi!

segunda-feira, 27 de maio de 2013

 
Deixa eu dizer como foi o FIP! Foi bom. É, bom. Porque tem coisa que não precisa a gente arrodear ou inventar palavra, não. Porque ser bom já é muito. Uma pessoa boa, por exemplo, precisa de mais algum adjetivo? É que a gente é acostumado a criar na busca do belo e as vezes abre mão da beleza que há no simples. Já pensasse nisso? Eu fico pensando...

Sim! Mas vamos falar do FIP. Que FIP? O Festival Internacional de Poesia do Recife que aconteceu esse fim de semana - advinha onde? No Recife. Foi a segunda edição, mas eu não fui na primeira. Mas essa segunda foi de primeira.

Eu tive lá no sábado. Aí cheguei cedo, aí fui amparado completamente pela equipe da Fundarpe. Pense num povo organizado. Aí eu fui lá pro Mercado da Madalena, vê que arretado. Num acha, não? E se eu disser que teve uma mesa de glosas, diga aí! Lá eles batizaram de Arrumadinho da Poesia e a coisa ficou foi arrumada mesmo. Henrique Brandão, Aldo Neves, Thiago Martins, Maciel Correia e João Luiz... eita mói de doido pra ter juízo. Aí o cabra diz o quê? Que foi bom, né?

E de noite, então. De noite fui eu. Lá na Torre Malakoff, num ambientezinho favorável. Disse uns versinhos e ouvi uns versões. E umas versões também. Revi e reouvi Helder Herik e descobri Bruno Gaudêncio. Trocamos. Idéias.

Num esforço danado pra entender um portunhol bem sotaqueado, captei umas mensagens de Mario Bojórquez, um mexicano que bateu um papo legal com Wellington de Melo. Aliás, bom que se diga: Wellington deu uma cara nova à literatura oficial. (Peraí que “literatura oficial” ficou estranho. Eu quis dizer como o Estado cuida da literatura. O cara é o quê? Bom. Tá cumprindo uma missão na Fundarpe que vale um abraço.)

Mas como eu ia dizendo... a noite teve um encerramento porque tudo precisa ter um encerramento. E lá foi com Micheliny Verunschk e Helton Moura. Ele tocou um violão de um jeito diferente, sintonizado com uma performática interpretação dela. Aí eu descobri o que é uma Jam Poética. (Tás vendo Edierck? A gente num sabe nem o que faz?) E assim foi assim, desse jeito assim. Fui dormir pra acordar pra voltar pra casa. Mas fiquei por lá. E trouxe lá pra cá. E tamo aí!

Entoa ta. Tá bom. Vou terminar. Só não sei como.

Sei! Já sei! Quando me perguntarem de novo como foi o FIP eu vou dizer simples, sofisticada e maiusculamente: FOI BOM!

VIOLARTE

O Festival da Canção, carro chefe do 2º Violarte, terá abrangência nacional e músicos de todo o Brasil poderão se inscrever. As músicas selecionadas concorrerão aos prêmios de R$2.000,00 (1º lugar); R$1.500,00 (2º lugar); R$1.000,00 (3º lugar); R$500,00 (melhor intérprete) e R$500,00 (melhor arranjo musical). Sua música pode ser enviada até o dia 20 de maio.
Além do Festival da Canção, o 2º Violarte vai ofertar seis oficinas de formação cultural: teatro de rua, expressão corporal, construção de tambores, brinquedos e brincadeiras, construção de acessórios e dança afro-brasileira. As vagas são limitadas e as inscrições para as oficinas podem ser feitas até o dia 27 de maio. As fichas de inscrição e os regulamentos das oficinas e do festival da canção encontram-se disponíveis para download no blog do Violarte, em  www.festivalviolarte.blogspot.com.br.
Shows com Pedro Moraes, Xicas da Silva, Tambolelê, Marcela Veiga e Banda, Coral Araras Grandes, Osmar Lins e outros artistas de renome regional e nacional já foram confirmados, assim como, os grupos de teatro Tirana Cia. de Teatro, Ícaros do Vale e Murion também já garantiram presença no festival.

Mais informações sobre o 2º Violarte encontram-se disponíveis através do endereço eletrônico www.festivalviolarte.blogspot.com.br.
 
Copiei de: http://sitecurupira.blogspot.com.br/2013/05/2-violarte-festival-de-cultura-popular.html

OS PSICÓLOGOS QUE ME PERDOEM...... MAS EU ACHO QUE ESSA ERA A PSICOLOGIA QUE FUNCIONAVA MESMO....

sexta-feira, 24 de maio de 2013

                                                                                                Contribuição de Aristeu Bezerra


Ensinamentos das MÃES DE ANTIGAMENTE:

Minha mãe ensinou a VALORIZAR O SORRISO... "ME RESPONDE DE NOVO E EU TE ARREBENTO OS DENTES!"

Minha mãe me ensinou a RETIDÃO... "EU TE AJEITO NEM QUE SEJA NA PANCADA!"

Minha mãe me ensinou a DAR VALOR AO TRABALHO DOS OUTROS... "SE VOCÊ E SEU IRMÃO QUEREM SE MATAR, VÃO PRA FORA. ACABEI DE LIMPAR A CASA!"

Minha mãe me ensinou LÓGICA E HIERARQUIA... "PORQUE EU DIGO QUE É ASSIM! PONTO FINAL! QUEM É QUE MANDA AQUI?"

Minha mãe me ensinou o que é MOTIVAÇÃO... "CONTINUA CHORANDO QUE EU VOU TE DAR UMA RAZÃO VERDADEIRA PARA VC CHORAR!"

Minha mãe me ensinou a CONTRADIÇÃO... "FECHA A BOCA E COME!"

Minha Mãe me ensinou sobre ANTECIPAÇÃO... "ESPERA SÓ ATÉ SEU PAI CHEGAR EM CASA!"

Minha Mãe me ensinou sobre PACIÊNCIA... "CALMA!... QUANDO CHEGARMOS EM CASA VOCÊ VAI VER SÓ..."

Minha Mãe me ensinou a ENFRENTAR OS DESAFIOS... "OLHE PARA MIM! ME RESPONDA QUANDO EU TE FIZER UMA PERGUNTA!"

Minha Mãe me ensinou sobre RACIOCÍNIO LÓGICO... "SE VOCÊ CAIR DESSA ÁRVORE VAI QUEBRAR O PESCOÇO E EU VOU TE DAR UMA SURRA!"

Minha Mãe me ensinou sobre o REINO ANIMAL... "SE VOCÊ NÃO COMER ESSAS VERDURAS, OS BICHOS DA SUA BARRIGA VÃO COMER VOCÊ!"

Minha Mãe me ensinou sobre GENÉTICA... "VOCÊ É IGUALZINHO AO SEU PAI!"

Minha Mãe me ensinou sobre minhas RAÍZES... "TÁ PENSANDO QUE NASCEU DE FAMÍLIA RICA É?"

Minha Mãe me ensinou sobre a SABEDORIA DE IDADE...
"QUANDO VOCÊ TIVER A MINHA IDADE, VOCÊ VAI ENTENDER."

Minha Mãe me ensinou sobre JUSTIÇA... "UM DIA VOCÊ TERÁ SEUS FILHOS, E EU ESPERO ELES FAÇAM PRÁ VOCÊ O MESMO QUE VOCÊ FAZ PRA MIM! AÍ VOCÊ VAI VER O QUE É BOM!"

Minha mãe me ensinou RELIGIÃO... "MELHOR REZAR PARA ESSA MANCHA SAIR DO TAPETE!"

Minha mãe me ensinou o BEIJO DE ESQUIMÓ... "SE RABISCAR DE NOVO, EU ESFREGO SEU NARIZ NA PAREDE!"

Minha mãe me ensinou CONTORCIONISMO... "OLHA SÓ ESSA ORELHA! QUE NOJO!"

Minha mãe me ensinou DETERMINAÇÃO... "VAI FICAR AÍ SENTADO ATÉ COMER TODA COMIDA!"

Minha mãe me ensinou habilidades como VENTRÍLOCO...
"NÃO RESMUNGUE! CALA ESSA BOCA E ME DIGA POR QUE É QUE VOCÊ FEZ ISSO?"

Minha mãe me ensinou a SER OBJETIVO... "EU TE AJEITO NUMA PANCADA SÓ!"

Minha mãe me ensinou a ESCUTAR ... "SE VOCÊ NÃO ABAIXAR O VOLUME, EU VOU AÍ E QUEBRO ESSE RÁDIO!"

Minha mãe me ensinou a TER GOSTO PELOS ESTUDOS...
"SE EU FOR AÍ E VOCÊ NÃO TIVER TERMINADO ESSA LIÇÃO, VOCÊ JÁ SABE!..."

Minha mãe me ajudou na COORDENAÇÃO MOTORA...
"JUNTA AGORA ESSES BRINQUEDOS!! PEGA UM POR UM!!"

Minha mãe me ensinou os NÚM EROS... "VOU CONTAR ATÉ DEZ. SE ESSE VASO NÃO APARECER VOCÊ LEVA UMA SURRA!"

Brigadão, Mãe !!! Eu não virei bandido.

O Fip ano II traz atrações de fora para interagir com autores pernambucanos

Descrição da imagem 


     Pelo segundo ano, o Recife abre espaço para contemplar a tradição poética da cidade conectando-a com o que é produzido em outros lugares. Pensando nisso, o Festival Internacional de Poesia do Recife - Ano II, acontece entre os dias 23 e 26 de maio de 2013, na capital pernambucana. Tendo como polo principal a Torre Malakoff e, ainda, ações descentralizadas nos mercados da Madalena e da Boa Vista, no IMIP e no Parque Dona Lindu, o evento visa estabelecer pontes entre diversas poéticas do mundo tendo como base o trabalho dos poetas pernambucanos através de debates, diálogos, performances, entre outras ações.

     Na busca por esse diálogo, o FIP, que é uma realização do Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura e Fundarpe, em parceria com a Prefeitura do Recife e Ministério de Relações Exteriores da Argentina, contará com artistas desse país, além do México, Angola e França. “Buscamos com nossas ações e nossos convidados, estabelecer conexões com uma rede de poetas que possa interagir com o que é produzido em Pernambuco”, afirma Wellington de Melo, coordenador de Literatura da Secult-PE e Fundarpe.

     A Torre Malakoff é o principal polo do FIP 2013 e receberá uma programação intensa durante quatro dias. Abreu Praxe, da Angola, Mario Bojórquez, do México, Cecilia Eraso, da Argentina e Angélica Freitas, do Rio Grande do Sul, são alguns dos nomes que irão compor a programação com nomes pernambucanos como Micheliny Verunschk, Jussara Salazar e Fernando Monteiro. Além das rodas de poesia, diálogos e performances, o espaço vai abrigar uma intervenção intitulada “Poesia na nuvem”, que consiste na pintura de uma biblioteca virtual, feita por artistas como Raoni Assis, com curadoria d’A casa do cachorro preto, em que o público poderá baixar da internet obras de poetas pernambucanos através de QR Codes. A ação irá acontecer no hall de entrada da Torre e deve permanecer mesmo depois do festival. A ação acontece em paralelo nas cidades de Clermont-Ferrand e Recife, como parte do acordo de cooperação entre a Secult-PE/ Fundarpe e a Universidade Blaise Pascal.

Ações descentralizadas
     O FIP contará ainda com ações descentralizadas com o objetivo de levar a poesia ainda mais perto do público. Repetindo o sucesso do primeiro ano, o Arrumadinho de Poesia é um momento de dar destaque à tradição já existente vivenciada nos mercados públicos, considerados verdadeiros redutos da poesia. A ação acontece em parceria com a União pelo Cordel de Pernambuco, no Mercado da Madalena, no dia 25/5, das 12h às 14h, e no Mercado da Boa Vista, no dia 26/5, também das 12h às 14h.

     O A gente da Palavra, iniciativa que consiste em poetas uniformizados como agentes de saúde levando poesia até as pessoas, aconteceu na edição passada e foi muito bem recebida pelos moradores do Alto José do Pinho. O projeto, que tem passado por todo o estado de Pernambuco com o circuito do Festival Pernambuco Nação Cultural, nesta edição do FIP, irá acontecer no IMIP – Instituto Materno Infantil de Pernambuco -, no dia 24/5, das 9h às 11h e das 15h às 17h.

     Nos dias 25/5 e 26/5, a partir das 16h, o FIP abre espaço para a criançada. Poesia para pequenos tem declamação e música com o Grupo Cordelândia, no Parque Dona Lindu.

Performances
    Como na primeira edição, o FIP também abre espaço para o diálogo entre poesia e outras linguagens artísticas. Este ano, em uma parceria com A casa do cachorro preto, a sala Diálogos da Torre Malakoff recebe uma intervenção de vários jovens artistas em uma “anti-homenagem” ao poeta e performer Jomard Muniz de Britto. “Jomard é avesso a homenagens, então fizemos uma ‘anti-homenagem levemente carnavalizada e totalmente não autorizada’, para não ter nenhum problema”, brinca o coordenador de Literatura Wellington de Melo.

     A música também estará presente no FIP. Duetos de poetas e músicos se apresentarão na Torre Malakoff sempre à noite, como no encontro entre o poeta Chico Pedrosa e o rapper e poeta Clécio Rimas. O show de abertura (23/05, a partir das 21h30) fica a cargo do multiartista Adiel Luna, trazendo o como convidado o repentista baiano Antonio Queiroz. No encerramento (26/05, a partir das 19h), um show especial com Estrela Leminski e Téo Ruiz. Antes do show, um experimento performático baseado na obra de Paulo Leminski com o trio Madame Cellini, formado pelas atrizes Ceronha Pontes, Lilli Rocha e Nínive Caldas.

Copiado de http://www.fundarpe.pe.gov.br/o-fip-ano-ii-traz-atracoes-de-fora-para-interagir-com-autores-pernambucanos 
Veja mais em www.festivalinternacionaldepoesia.com

Olha a Cantilena de junho! Mais uma prestando!

quarta-feira, 22 de maio de 2013

O Pajeú de nós dois



    Menino, vá estudar é uma das faixas do CD O Pajeú de nós dois, que eu gravei com Genildo Santana. A ideia é dizer que poesia é poesia e poeta é poeta, rompendo com as más interpretações de que poesia "só presta com rima" ou que "rima e métrica amarram a criação poética". Que é isso? Poesia ou é ou não é. Não importa como seja feita, qual a opção do poeta ou coisas parecidas.
    Vamos estudar e adorar a arte em todas as suas faces, caras e caretas. É isso aí, tenho dito!

Menino, vá estudar

Menino, vá estudar
Juízo na seca seca
Veja na biblioteca
O que tem a lhe esperar
Leia José de Alencar
Em sua obra completa
Leia sem fazer dieta
Um Cassimiro de Abreu
Leia Augusto em seu “EU”
Mas conheça meu poeta

Um Lobato, que fez belo
Leia, releia e cite-o
E se embrenhe pelo Sítio
Do Pica Pau Amarelo
Veja o recado singelo
Duma Cecília, a discreta
Leia sem definir meta
Sem contar a quantidade
Devore Drummond de Andrade
Mas conheça o meu poeta

Castro Alves e Amado
Os gênios da terra mansa
Carregue em sua lembrança
Como um tesouro guardado
Dum Neruda em separado
Faça leitura seleta
Leia numa tarde quieta
Um Fred Garcia Lorca
Ariano e sua porca
Mas conheça o meu poeta

Leia Bilac e Raquel
Bandeira como se manda
E dos Buarque de Holanda
Tudo que foi pro papel
Pessoa, a pena fiel
Guimarães, pena arquiteta
Machado que ninguém veta
Saramago e mais uns cem
Leia lá nem sei mais quem
Mas conheça meu poeta

Meu poeta, igual aos tais
Mas sem saber científico
Sem qualquer título honorífico
Produz obras geniais
Sem contestar os demais
Atrai olhares pra si
Afina a viola em mi
Canta o local e o estrangeiro
Se cantar o mundo inteiro
Meu poeta é esse aí

Sem mídia, dinheiro ou fama
Sem certeza do amanhã
Da natureza é um fã
E a própria arte ama
A noite é a sua dama
Seu guia, o colibri
Que não aceita jequi
E nem se dá com gaiola
Se faz da vida uma escola
Meu poeta é esse aí

Meu poeta é andarilho
Um tangedor, almocreve
Que seu próprio livro escreve
Sob a lua com seu brilho
Seja pai ou seja filho
Faz do lar qualquer ali
Igualmente ao jabuti
Junto ao corpo leva casa
Se com nada se atrasa
Meu poeta é esse aí

 
 
 
 
Template modificado por WMF-Mídia Design | (87) 9918-2640 / 9620-2552